Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Incêndios fizeram 74 feridos entre 8 e 14 de agosto

Nuno André Ferreira / Lusa

Dos 74 feridos, seis ficaram feridos com gravidade, e 49 pessoas foram assistidas, entre as quais 32 bombeiros, quatro militares da GNR e 13 civis

Os dois incêndios ativos que mais preocupam esta quarta-feira as autoridades lavram nos concelhos de Mação e de Vila de Rei, informou esta quarta-feira a Proteção Civil, adiantando que, entre 8 e 14 de agosto, se registaram 74 feridos.

Entre 8 e 14 de agosto foram registados 74 feridos, seis dos quais graves, e 49 pessoas foram assistidas, entre as quais 32 bombeiros, quatro militares da GNR e 13 civis, adiantou o comandante nacional da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC), Rui Esteves, no briefing diário à comunicação social sobre a situação dos incêndios no país.

O comandante nacional explicou que estes dois incêndios “são novos, não são reativações, não são projeções, são ocorrências novas”.

“Estas ocorrências que aconteceram ontem [terça-feira] no final do dia são duas das quatro que se iniciaram em Mação e Vila de Rei. Estas são as situações mais preocupantes a nível nacional, tendo em conta que os restantes incêndios que estavam ativos ao longo da noite se encontram dominados”, explicou. Rui Esteve referia-se aos incêndios em Leiria, Vila Real, Castelo Branco, Louriçal do Campo e Vila de Rei, que cerca do meio-dia estavam “em vigilância”.

Segundo as informações hoje avançadas por Rui Esteves, está no terreno um reforço dos meios operacionais militares, com 26 grupos de reforço, 18 pelotões militares, seis máquinas de rasto militares e 11 máquinas de rasto civis.

O reforço de meios aéreos com participação internacional inclui dois aviões Air Tractor, que estão sediados em Proença-a-Nova, e dois Canadair de Espanha, ambos a trabalhar no concelho de Mação.

Fazendo um balanço da semana de 8 a 14 de agosto, Rui Esteves afirmou que ocorreram 1.431 incêndios florestais que envolveram 44.986 meios humanos, apoiados por 12.148 veículos e houve 831 missões aéreas.

Os distritos com mais fogos nesta semana foram o Porto, Aveiro e Braga, mas o maior nível de afetação de meios foi registado nos distritos de Santarém, Coimbra e Castelo Branco.
Segundo o comandante nacional da Proteção Civil, 38% das ocorrências (889) surgiram durante a noite.

Comparando com a semana de 1 a 7 de agosto houve um acréscimo de 72% no número de incêndios rurais (mais 601). Houve também um aumento de 103,6% no número de meios envolvidos (mais 22.887), mais 86% no número de missões aéreas e mais 173% no número de horas voadas.