Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Incêndios: 40 feridos e dezenas de pessoas retiradas de casa nos últimos dias

Um popular ajuda no combate ao incêndio perto aldeia de Cabeça Gorda, em Abrantes

MIGUEL A. LOPES/Lusa

Maioria dos feridos resultou do incêndio em Abrantes, mas apenas um é considerado grave. Dos mais de 200 incêndios ativos na tarde deste domingo, cinco concentram mais meios: Mealhada, Alvaiázere, Ferreira do Zêzere, Coimbra e Castelo Branco

Desde que o incêndio de Abrantes teve início, na passada quarta-feira, cerca de quatro dezenas pessoas ficaram feridas em resultado das chamas - entre civis e bombeiros - uma delas com gravidade. O balanço foi feito ao início da tarde deste domingo pela Protecção Civil.

Em declarações à agência Lusa, a adjunta nacional de operações da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), Patrícia Gaspar, afirmou que, às 13h20, eram cinco os incêndios mais preocupantes: Mealhada, Alvaiázere, Ferreira do Zêzere, Coimbra e Castelo Branco.

O incêndio em Tomar, que lavrava há 20 horas, foi entretanto dado como dominado às 12h30, embora os meios se mantenham em prontidão, tendo em conta o risco de reativação.

Dezenas de pessoas tiveram de ser retiradas das suas casas nos últimos dias face ao avançar da chamas em vários concelhos do país.

Em Coimbra, um incêndio obrigou à retirada de 40 pessoas, que, entretanto, já regressaram às suas habitações. O fogo na Mealhada, no distrito de Aveiro, obrigou à retirada de 16 idosos de um lar, e em Ferreira do Zêzere, distrito de Santarém, também se registaram pessoas deslocadas. Também em Tomar as chamas obrigaram à retirada de cerca de 80 pessoas das suas casas situadas em várias localidades.

No Louriçal, distrito de Castelo Branco, foi mesmo evacuada uma unidade hoteleira, além de residentes de casas em nove localidades.