Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Incêndios: Sete fogos em curso, 1600 bombeiros no terreno (atualização)

Cinfães e Abrantes são as ocorrências mais graves. Incêndios de Cantanhede, Ferreira do Zêzere e Grândola, bem como os fogos de Alvaiázere e Cantanhede, estão em fase de resolução

Mais de 1600 bombeiros estão no terreno este sábado empenhados no combate aos vários incêndios em curso no território nacional. De acordo com a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), às 11h, os casos mais graves ocorriam nos distritos de Viseu (Cinfães) e Santarém (Abrantes).

Há minutos, em declarações à TSF, a presidente da Câmara Municipal de Abrantes garantiu que o incêndio no concelho estava controlado, não existindo nenhuma frente de fogo ativa. Na página da ANPC, contudo, o incêndio de Abrantes está ainda classificado como "em curso".

Ao contrário, outros fogos que estavam ativos esta manhã, como os de Leiria (Alvaiázere e Pombal), encontram-se em fase de resolução, assim como os incêndios de Cantanhede, Ferreira do Zêzere e Grândola - todos estão dominados e em fase de resolução.

O caso de Abrantes, um incêndio em curso desde quarta-feira, é o que mobiliza mais meios, com 543 bombeiros no terreno. Em Alvaiázere, as chamas surgiram ao início da noite de ontem e a grande preocupação dos bombeiros é tentar impedir que uma das frentes de fogo chegue à zona de Ferreira do Zêzere.

As condições meteorológicas previstas para hoje, com temperaturas elevadas e vento, são uma preocupação para os bombeiros. Pedro Araújo, da Proteção Civil, referiu há pouco que não existem autoestradas cortadas, ainda que a A23 esteja sujeita a condicionamentos devido ao fumo. O dispositivo de combate está a ser reforçado por três aeronaves, uma marroquina e duas espanholas.