Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

É dos que reserva um lugar no praia com uma toalha? A atitude é criticável mas não ilegal

d.r.

Há veraneantes que colocam os chapéus de sol e as tolhas na praia ainda antes das 8h apenas para guardar um lugar. O comportamento tem sido alvo de críticas mas em Portugal não é punido por lei

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Nas praias algarvias mais concorridas já é uma prática comum. Há turistas que se levantam da cama mais cedo apenas para colocar os chapéus de sol e as toalhas no areal, de modo a ter um lugar guardado no areal. Muitos só voltam à praia algum tempo depois, já com o pequeno-almoço tomado.

Apesar de criticável, a lei portuguesa não pune este tipo de comportamento. "Não há cobertura legal para coimar este tipo de atitude. A solução é só mesmo mudando a lei. Neste caso é uma questão de civismo, respeito e educação", diz ao Expresso o comandante Pedro Coelho Dias, porta voz da Autoridade Marítima Nacional.

Em Itália, a Guarda Costeira aplica uma multa de 200 euros a quem deixe toalhas e chapéus durante a noite, recolhendo em alguns casos o material até ao pagamento da coima, de acordo com o Jornal de Notícias .

A prática, que tem sido bastante criticada nas redes sociais, já não é nova nas praias portuguesas. No ano passado, causou polémica um vídeo que mostrava a praia de Armação de Pêra, em Silves, às 8h da manhã, quase deserta mas repleta de chapéus de sol e toalhas.

Na sua edição deste sábado, o "JN" encontrou dezenas de madrugadores em Armação de Pera, em Portimão e na Quarteira.

Os banhistas justificam o comportamento e criticam os concessionários, que dizem ocupar uma fatia cada vez maior no areal, deixando por isso pouco espaço para quem não quer ou não pode pagar por uma sombra ou por uma espreguiçadeira.