Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Bombeiros tentam que incêndio em fábrica de cortiça de Santa Maria da Feira não se propage a armazéns com solventes

O fogo na fábrica de cortiça de Argoncilhe ainda não está dominado e corre o risco de de propagar a instalações contiguas com produtos solventes. Outro fogo, numa zona remota do concelho de Mirandela, levou à mobilização de 36 veículos, 114 operacionais e 4 meios aéreos

O incêndio em curso na fábrica de cortiça de Argoncilhe, concelho de Santa Maria da Feira, é a situação mais preocupante que está a ser combatida pelos bombeiros neste sábado à tarde.

“O ataque está a ser favorável, mas ainda não está dominado e está-se a tentar que não se propague a outras instalações contiguas, nomeadamente armazéns com solventes”, indicou ao Expresso Paulo Santos, oficial de operações de emergência da Proteção Civil.

32 veículos e 92 operacionais foram destacados para o combate a este fogo em Santa Maria da Feira, distrito de Aveiro.

Outra situação que está a gerar maior preocupação, por se situar numa zona remota, é o fogo em curso em Vale de Asnes, concelho de Mirandela, distrito de Bragança. O alerta foi dado cerca das 15h e foram entretanto destacados para o local 36 viaturas, 114 operações e 4 meios aéreos.

Em Senhora do Castelo, concelho de Mangualde, distrito de Viseu, um outro incêndio obrigou à mobilização de 15 veículos, 73 operacionais e dois helicópteros.

A sul regista-se um incêndio rural na localidade A Bela, concelho de Santiago do Cacém, distrito de Setúbal, envolvendo no seu combate 31 viaturas, 102 operacionais e um helicóptero; um outro incêndio numa zona de mato de Monte do Vale da Parra Novo, concelho de Moura, distrito de Beja, está a ser combatido por 67 viaturas, 104 operacionais e 2 aviões anfíbios.