Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

MP já tinha planeado ouvir secretários de Estado demissionários

Rocha Andrade, João Vasconcelos e Jorge Oliveira anteciparam-se a diligência do Ministério Público. Vão ser ouvidos nos próximos dias e constituídos arguidos pelo crime de recebimento indevido de vantagem

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Editor de Sociedade

Helena Pereira

Helena Pereira

Editora de Política

Os três secretários de Estado que pediram e demissão e pediram para serem ouvidos e constituídos arguidos no processo Galp/Euro 2016 já sabiam que iam ser chamados pelo Ministério Público nos próximos dias. Na última semana, Vitor Escária, assessor do primeiro-ministro António Costa, foi ouvido e indiciado pelo crime de recebimento indevido de vantagem e os três governantes perceberam que seriam os próximos. O Expresso sabe que o próprio chefe de gabinete de Rocha Andrade, Bezerra da Silva, também já terá sido ouvido e constituído arguido.

O caso foi denunciado pela revista Sábado há 11 meses e relatava o facto de Rocha Andrade ter aceitado o convite da Galp para assistir a dois jogos da seleção nacional no Euro 2016, que se realizou em França: o Portugal - Hungria e a final contra a França. Vasconcelos, secretário de Estado da Indústria e Oliveira, secretário de Estado da internacionalização também receberam e aceitaram convites para o jogo contra os húngaros. A Galp mantinha na altura um diferendo com o Estado por causa do pagamento de impostos.