Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Pornografia na internet pode causar disfunção erétil

Produção da neuro-hormona dopamina no cérebro é alterada, provocando efeitos nefastos na função sexual

Há um novo factor de risco para a disfunção erétil. Uma investigação recente revela que ver pornografia na internet altera a produção de uma neuro-hormona no cérebro, a dopamina, provocando efeitos nefastos na função sexual.

Segundo o investigador norte-americano Gary Wilson, "a pornografia da internet tem mais formas de aumentar a dopamina do que a novidade sexual simples". A experiência virtual faz elevar os níveis de dopamina de forma mais rápida do que na atividade sexual tradicional, pois a pornografia pode ser considerada como um estímulo "supernormal".

"A pornografia de alta velocidade também permite controlar a dopamina com o rato do computador e isto não o podíamos fazer nem com as revistas, nem com os encontros reais", explica o investigador. O cérebro experimenta assim dois processos gémeos: a sensibilização e a dessensibilização. O primeiro eleva os níveis de dopamina e o segundo aumenta a tolerância, tornando as pessoas dependentes de um número cada vez maior de estímulos para obterem prazer.