Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

SEF confirma prisão de dois afegãos no Porto

Suspeitos referiram ter viajado, durante dois anos, por diferentes países europeus tendo chegado a Portugal de comboio. Autoridades não encontraram qualquer documento de identificação, bilhetes ou outro documento "que atestasse a factualidade por eles descrita"

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) confirma a detenção de dois cidadãos estrangeiros, presumivelmente nacionais do Afeganistão, por permanência irregular em território nacional.

Em comunicado, o SEF confirma que a 4 de julho foi informado da presença de dois cidadãos estrangeiros indocumentados na Esquadra de Turismo da PSP do Porto e de imediato deslocou uma equipa de Inspetores àquela Esquadra que os trouxe para as instalações do SEF a fim de avaliar a situação, recorrendo aos serviços de intérprete de língua persa e farsi.

Os suspeitos referiram ter viajado, durante dois anos, por diferentes países europeus tendo chegado a Portugal de comboio, desembarcando no Porto. "Mais indicaram ter solicitado asilo na Finlândia, estando o SEF, sobre a matéria em apreço, a desenvolver as necessárias consultas."

Após revista de segurança, "não foi encontrado qualquer documento de identificação, bilhetes ou outro documento que atestasse a factualidade por eles descrita", diz o SEF. Tinham na sua posse cerca de 2000 euros, uma pen drive e ainda dois telemóveis.

De acordo com o "Jornal de Notícias", os dois homens teriam consigo fotografias em que exibem armas na Síria. No entanto, as autoridades contactadas pelo Expresso desdramatizam o caso.

"Face às declarações dos mesmos, aos elementos detetados e à análise feita por este Serviço, o SEF contactou a Polícia Judiciária, que fez deslocar ao SEF uma equipa, bem como outras entidades nacionais", revela o SEF.

Os cidadãos estrangeiros foram detidos pelo SEF e presentes em Tribunal, na quarta feira de manhã, que validou a detenção e aplicou a medida de coação de instalação em Centro de Instalação Temporária no Porto, sob custódia do SEF, tendo sido apreendidos, por ordem do DIAP, os pertences referidos.