Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Desmantelada rede da Camorra com ligações a Portugal

Vinte e quatro pessoas foram detidas numa operação contra mafia italiana que também operava em Portugal. Organização dedicava-se à lavagem de dinheiro obtido no tráfico de drogas através de uma rede de empresas situadas em Espanha, Itália, Alemanha, França e Portugal

A Guardia Civil deteve 24 pessoas em Espanha, Itália e Alemanha, numa operação contra a mafia italiana (Camorra), por tráfico de droga e lavagem de dinheiro em vários países europeus, entre os quais Portugal.

"Houve 14 detidos em Espanha, oito em Itália e dois na Alemanha", indicou um porta-voz da Guardia Cívil citado pela agência AFP.

Esta organização mafiosa dedicava-se à lavagem de dinheiro obtido no tráfico de drogas através de uma rede de empresas situadas em Espanha, Itália, Alemanha, França e Portugal.

A maioria das detenções foram feitas em Barcelona pela Guardia Civil e pela polícia regional catalã (Mossos d'Esquadra), enquanto em Itália foram realizadas em Nápoles, o feudo da Camorra.

A operação teve como objetivo "desmantelar uma organização criminosa internacional especializada no tráfico de drogas e branqueamento de capitais", precisou uma fonte da polícia catalã à AFP.

A mafia italiana utilizava casas de jogos, empresas de aluguer de automóveis ou lojas de compra e venda de ouro para lavar o dinheiro obtido através do tráfico de drogas, explicou à agência francesa de notícias o porta-voz da Guardia Civil.

Segundo o Ministério Público espanhol, as autoridades judiciais de Espanha, Itália e Alemanha trabalham há três meses na investigação desta organização criminosa.
No âmbito das buscas, a equipa conjunta de investigação Espanha-Itália, apreendeu 520 quilogramas de cocaína e mais de 450 quilogramas de haxixe e marijuana.

O Ministério Público destacou o êxito desta equipa conjunta, instrumento de cooperação judicial e policial da UE na execução de investigações a organizações de âmbito transnacional.

Os dispositivos policiais de cada país foram coordenados pela Europol, que destacou efetivos próprios para cada um dos locais em que a operação está a ser executada.