Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Assaltantes de Tancos não estavam sob vigilância

Autoridades não confirmam as declarações de José Miguel Júdice na TVI. O ex-bastonário da Ordem dos Advogados disse que as forças de investigação já seguiam os assaltantes de Tancos, tendo perdido o rasto deles

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O grupo que assaltou o depósito militar de Tancos na última quarta-feira não se encontrava referenciado pela polícia, nem estava sequer a ser seguido ou monitorizado. Este é um dado confirmado por várias fontes próximas da investigação ao caso, depois das declarações do ex-bastonário José Miguel Júdice, esta terça-feira na TVI.

De acordo com advogado, “o bando ou grupo já estava sob suspeita das forças de investigação e não conseguiram pô-los sob escuta. Portanto estavam a segui-los para o apanhar em flagrante delito. Não aviaram a tropa”.

Júdice afirmou ainda que “as forças de investigação que os andavam a seguir os possam ter perdido”, referindo que a sua fonte era um “político de nível muito elevado”.

O caso é investigado pela Unidade Nacional Contra Terrorismo da Polícia Judiciária, pela Polícia Judiciária Militar num inquérito dirigido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal.