Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Mais de 50 concelhos em risco máximo de incêndio

marcos borga

Autoridade Nacional da Proteção Civil alerta para a continuação de condições favoráveis à “eventual ocorrência e propagação de incêndios florestais”

Mais de 50 concelhos de dez distritos de Portugal continental apresentam esta terça-feira risco máximo de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com a informação disponível na página da Internet do Instituto, mais de 50 concelhos dos distritos de Faro, Beja, Santarém, Portalegre, Castelo Branco, Coimbra, Guarda, Viseu, Aveiro e Bragança estão em risco 'máximo' de incêndio.

O IPMA colocou também em risco 'muito elevado' e 'elevado' de incêndio vários concelhos dos 18 distritos de Portugal continental.
O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, que podem variar entre 'Reduzido' e 'Máximo'.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13h em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

Cerca das 6h30, a Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) registava na sua página da internet 21 fogos ativos, que mobilizavam 508 operacionais, com o apoio de 157 veículos, sendo que dois nos distritos de Castelo Branco e Aveiro estavam em curso.

A ANPC alertou na segunda-feira para a continuação de condições favoráveis à "eventual ocorrência e propagação de incêndios florestais", devido ao tempo quente e seco e ao vento moderado.

Por sua vez, o IPMA colocou oito distritos de Portugal continental sob 'Aviso 'Amarelo', devido à "persistência de valores elevados da temperatura máxima".

Este aviso meteorológico entrou em vigor às 00h44 e é válido até às 21h desta terça-feira, nos distritos de Leiria, Coimbra, Aveiro, Vila Real e Bragança.

Para esta terça-feira, o IPMA prevê "céu em geral pouco nublado e descida da temperatura máxima no litoral das regiões Norte e Centro e na região Sul", havendo mesmo a "possibilidade de ocorrência de aguaceiros nas regiões do interior Norte durante a tarde".

Apesar de estar prevista uma diminuição da temperatura máxima na faixa costeira da ordem dos quatro a oito graus Celsius", a Proteção Civil refere que se mantém o perigo de incêndios florestais.