Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Marinha iniciou terceira fase de apoio à população

O vice-almirante Henrique Gouveia e Melo informou que hoje se inicia a terceira fase da intervenção da Marinha em Pedrógão Grande, onde fica uma equipa especializada de 20 homens no terreno.

O vice-almirante Henrique Gouveia e Melo disse à agência Lusa que hoje se inicia a terceira fase da intervenção da Marinha em Pedrógão Grande, onde fica uma equipa especializada de 20 homens no terreno.
"A nossa intervenção foi feita em três fases. Uma primeira de apoio a quem estava na frente de batalha aos incêndios, com uma cozinha de campanha e em operações de rescaldo, vigilância e apoio sanitário urgente, em caso de necessidade", explicou Gouveia e Melo a propósito do incêndio que começou no dia 17 de junho em Pedrógão Grande e que provocou 64 mortos e mais de 200 feridos.
O comandante operacional da Marinha adiantou que esta fase decorreu entre 18 de junho e 25 de junho, sendo que, posteriormente, o Ministério da Defesa determinou que a Marinha ficasse mais uma semana no terreno para apoiar as populações.
"Posteriormente, demos apoio para fazer o reconhecimento da situação no terreno e na primeira assistência urgente, bem como ajudar a Câmara na organização urgente de bens de primeira necessidade que terminou hoje", disse.
Estas duas fases exigiram um número de militares elevado, cerca de 150, sendo que a maioria que esteve no terreno pertence aos fuzileiros.
Hoje, inicia-se a terceira fase, devidamente autorizada pelo Ministério da Defesa, com 20 homens no terreno e viaturas que vão dar apoio a médio/longo prazo.
A Marinha tem desenvolvido uma base de dados que será posteriormente entregue â Câmara de Pedrógão Grande.
O vice-almirante Gouveia e Melo esteve hoje presente na Igreja Matriz de Pedrógão Grande, onde foi celebrada uma missa com o pároco local e o capelão dos fuzileiros.
No final, o presidente do município, Valdemar Alves, deixou um "grande agradecimento" a todas as entidades que têm dado apoio à população do concelho, com especial enfoque na Marinha e nos fuzileiros que têm estado no terreno a apoiar a autarquia e as populações e a EDP, que segundo disse, em 48 horas restabeleceu a energia elétrica em quase todo o concelho.
"Vocês [Marinha] vão ficar na alma dos pedroguenses. Muito obrigado", concluiu.