Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Quando eu for grande, quero ser...

Marcos Borga (MB)

Plataforma Design the Future lança motor de busca vocacional para ajudar os jovens mais indecisos a escolher o curso e a profissão mais adequada às suas características e interesses. A “Deco Proteste” também dá uma ajuda e reuniu num diretório as formações de ensino secundário que existem em cada concelho e escola

O que queres ser quando fores grande? É a pergunta que provavelmente todos já ouvimos e à qual respondemos sem hesitações ali entre os três e os dez anos. O problema é depois, na altura em que a resposta tem de ser acompanhada por uma escolha. De uma via, de uma área, de um curso. Para milhares de finalistas do ensino secundário ou mesmo para aqueles que estão a concluir o 9º ano e têm de optar pelo ensino profissional ou geral, a escolha coloca-se neste final de ano letivo.

Criada há dois anos com o objetivo de ajudar os mais indecisos na sua opção profissional e académica, a plataforma Design the Future, apoiada pelo Santander Totta, juntou agora ao seu catálogo de apresentação das profissões um motor de busca vocacional, uma espécie de teste psicotécnico online, desenvolvido em parceria com a Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa e que hoje ficou disponível.

A partir de três categorias – interesses vocacionais (gostar das atividades associadas ao trabalho), ambientes de trabalho e capacidades (ter facilidade em desempenhar as tarefas requeridas pela atividade profissional) – os jovens têm a possibilidade de ir filtrando a informação até chegarem a uma lista de profissões que mais se aproximam do seu perfil.

Chegados às profissões podem depois aceder à outra ferramenta que já estava disponível e que se traduz na explicação de cada uma – em que consiste, o que requer, qual o perfil, as rotinas - através de testemunhos em vídeo, de três a cinco minutos, por parte de quem as exerce. É possível saber como é a vida de um mágico, de um treinador de animais, de um notário, de uma astrobióloga, de um comandante da marinha mercante, de um professor universitário de Direito, como o atual Presidente da República que também explica como preparava então as suas aulas. A lista integra 200 profissões, 3705 cursos (do ensino profissional a mestrados e especializações) e 1212 instituições, que formam os futuros profissionais daquelas áreas.

“Para o desenvolvimento deste projeto foram escolhidas algumas das variáveis psicológicas que consideramos importantes para o processo de tomada de decisão e que são frequentemente utilizadas no âmbito do aconselhamento vocacional”, descreve Isabel Janeiro, professora auxiliar e responsável pelo Núcleo de Aconselhamento Vocacional do Serviço a Comunidade da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa.

Os promotores da plataforma lembram que o motor de busca pretende ser uma ajuda na exploração e reflexão dos jovens acerca das suas próprias características pessoais, mas que a sugestão de profissões é apenas indicativa. E sugerem que, além da exploração das entrevistas disponibilizadas, os jovens falem com familiares, amigos, professores, psicólogos escolares sobre as profissões que despertam mais interesse e que procurem profissionais que já atuam nessas áreas para compreender melhor como é o dia-a-dia na prática.

E depois do 9º ano?

Além deste portal, também a “Deco Proteste” quer facilitar a vida aos alunos que estão agora a terminar o 9º ano e têm de escolher o que vão estudar nos próximos três (todos os jovens têm de estar no sistema de ensino ou formação até completarem os 18 anos).

Para isso reuniu num único diretório , os cursos de ensino secundário, gerais e profissionais, da rede pública e privada, existentes em cada concelho.

Os responsáveis da Deco Proteste” explicam que “grande parte desta informação está dispersa em brochuras e portais online dos vários estabelecimentos de ensino” e que a pouca informação agregada indica apenas as escolas existentes e os respectivos níveis de ensino. Mas não apresentam os cursos que oferecem, tal como se faz agora neste site, onde constam ainda os vários contactos dos estabelecimentos de ensino.