Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O ano dos SUV

A indústria automóvel, como qualquer ramo de negócio, segue as tendências de mercado. E, neste caso, os SUV B e C são os segmentos que mais crescem. A Kia já tinha o Sportage e o Sorento, agora prepara-se para lançar um modelo mais compacto. Chama-se Stonic e foi revelado esta terça-feira num evento exclusivo em Amesterdão. O jornalista Rui Pedro Reis esteve lá e conta o que viu

A apresentação do Kia Stonic esteve rodeada de grande secretismo. Não se sabia o nome do projeto, só eram conhecidos os traços base do design e sabia-se que era um SUV B que partilha a plataforma com o Hyundai Kauai, o tal que teve de mudar de nome no mercado português. Mas, mais do que fazer piadas fáceis, importa conhecer esta nova proposta que chega em Outubro, com o objetivo de rivalizar com o líder de mercado que é o Renault Captur. O nome Stonic nasce da junção das palavras Speedy e Tonic, numa referência à primeira e última notas numa escala. musical. Nas linhas do design reconhece-se a inspiração no Kia Sportage, mas com traços mais jovens a que se junta a pintura bicolor, que já se tornou praticamente obrigatória nos SUV deste segmento. No caso do Stonic, vai ter cinco cores de tejadilho, o que resulta num total de 20 combinações possíveis. O interior segue a mesma filosofia. Simples, com cores jovens a combinar com o tejadilho e uma clara aposta na conectividade. A Kia ainda não revela detalhes técnicos mas antecipa que vai ter, de serie, ligação Apple Car Play e Android Auto.

Como cartão de visita, os responsáveis da marca coreana asseguram que é o Kia mais personalizável de sempre. Os três modelos expostos em Amesterdão tinham acabamentos diferentes, mas deixaram a imagem de uma boa construção mas onde predominam os plásticos duros.

Estrutura leve… motores pequenos… tecnologia e segurança

A filosofia do Kia Stonic aponta a uma clientela urbana, jovem e dinâmica. O automóvel que usa a mesma plataforma já conhecida do Kia Rio, combina materiais leves com motores compactos. A principal aposta é nos motores a gasolina, com destaque para o 1.0 T-GDi, um bloco com três cilindros, turbo-alimentado e que debita 120 cv. A gama fica completa com dois motores aspirados: o 1.25 e o 1.4. Em matéria de diesel, a única proposta passa pelo motor 1.6, que é o que consegue melhores desempenhos em matéria de consumos. No entanto, com o mercado europeu a virar costas ao diesel, o motor 1.0 deve ser a principal aposta e aquele que vai conquistar progressivamente maior percentagem de vendas. Ainda não há números mas, o Stonic, desenhado em Frankfurt e com a colaboração da sede na Coreia do Sul, terá uma habitabilidade de referência e a bagageira tem um volume de 352 litros.

No capítulo da segurança, o novo Kia vai contar com muitas opções integradas no ADAS (Advanced Driver Assistance Systems), como travagem de emergência autónoma com reconhecimento de peões e alerta de colisão frontal, alerta de ângulo morto com deteção de trânsito à retaguarda e aviso de transposição da faixa de rodagem. Com uma nova câmara, o Stonic pode também contar com máximos automáticos e deteção de fadiga do condutor. Por enquanto não há informação de preços, nem da estrutura da gama. Sabe-se que chega em Outubro, num final de ano animado que vai contar com outras propostas como o Hyundai Kauai e o Seat Arona (que vai ser revelado na próxima semana).

O segmento da moda

Os SUV B representaram 7% do mercado em 2016, no segmento que mais aumentou o volume de vendas na Europa. Foram vendidos 1.1 milhões de veículos, num numero que deve ultrapassar os 2 milhões anuais em 2020.