Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O aspeto “tosco” dos pilares causou alarme, mas as condições segurança “estão garantidas”

A imagem está a circular nas redes sociais e já levou dezenas de pessoas a enviarem emails para a Proteção Civil de Lisboa, preocupadas pelo eventual perigo de queda de uma ponte

A fotografia impressiona pela aparente degradação dos pilares que sustêm uma ponte que liga as Amoreiras à ponte 25 de Abril, em Lisboa, mas a autarquia e a empresa responsável pela sua manutenção asseguraram esta sexta-feira ao Expresso que, apesar do aspeto, a situação é normal e a estrutura não representa qualquer perigo.

“Aqueles pilares são mesmo assim. São pilares estaca. São cravados na terra e ficam com aquele aspeto tosco”, disse Luísa Betinas, assessora de imprensa da Câmara de Lisboa.

“Estão garantidas as condições de segurança na utilização do viaduto. Relativamente ao aspeto do pilar, o mesmo decorre do processo construtivo que foi utilizado e que em nada interfere com a segurança estrutural do mesmo”, referiu um comunicado da Infraestruturas de Portugal.

Os pilares encontravam-se enterrados antes da construção do viaduto em 1999 e após a remoção da terra “não houve qualquer tratamento estético”, mas apresentam-se em boas condições, explicou Pedro Ramos, responsável de comunicação da empresa pública, “Temos feito a monitorização e aquele viaduto está em boas condições”, afirmou.

A imagem que está a circular nas redes sociais e que já levou dezenas de pessoas a enviarem emails à Proteção Civil de Lisboa surge acompanhada pela indicação de se tratar da “ponte de ligação entre a Avenida Duarte Pacheco e o IP7 – Lisboa”. “Todos os dias milhares de automóveis passam aqui. Fica o alerta, para que não seja necessário abracinhos e beijinhos de solidariedade!”, acrescenta .

Em rigor, trata-se de outro viaduto. A ponte em questão liga a zona das Amoreiras à Ponte 25 de Abril e o viaduto foi construído para a passagem da linha ferroviária para a margem sul.