Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Bombeiros alertam população de Pedrógão para vaga de assaltos

Marcos Borga

Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Pedrógão Grande diz que há “falsos técnicos no terreno, identificados como voluntários, que querem entrar dentro das casas das pessoas para ajudar e depois assaltam-nas

A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Pedrógão Grande alerta a população para a vaga de assaltos nas aldeias evacuadas, devido ao incêndio que lavrou no concelho, e pede atenção ao surgimento de falsos técnicos de apoio.

"Quero lançar um alerta para a nossa população por causa de duas situações que estão a acontecer: uma delas foi inicial, em que as pessoas foram retiradas das suas aldeias e houve grupos que sabiam que as aldeias tinham sido evacuadas e assaltaram essas casas", disse à agência Lusa o presidente da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Pedrógão Grande, Carlos David.

Ao mesmo tempo, chegou ao conhecimento deste responsável "que existem falsos técnicos no terreno, identificados como voluntários, e que querem entrar dentro das casas das pessoas para ajudar e depois assaltam-nas".

"Lancei um alerta à população para que se juntem nas juntas de freguesia se precisarem de alguma coisa. Com isto pode pagar justo por pecador, mas não acreditem nas caras estranhas. Nós conhecemo-nos todos. Acabamos com o porta a porta. Temos de arranjar mecanismos de defesa para acabar com estes malabarismos", acrescentou

Acresce que, segundo o representante, "há contas falsas na internet de 'Os amigos de Pedrógão' e de 'Os unidos de Pedrógão'". "Isso é tudo vigarice, isso é tudo falso", realçou.

Carlos David reconheceu que "as pessoas estão a ser apanhadas de surpresa com esta onda de solidariedade que está a surgir", mas pediu cautela.

"Além deste infortúnio e desta desgraça, ainda há pessoas que têm a lata de vir roubar os nossos velhinhos que perderam tudo e só ficaram com a roupa no corpo", condenou.

O responsável disse desconhecer para já o número de casas que foram assaltadas, mas as autoridades e elementos da Proteção Civil já andam no terreno à caça dos ladrões. Não se sabe ainda se houve também assaltos noutros concelhos.

Carlos David indicou ainda que quem quiser ajudar deve entrar em contacto direto com a corporação.

O incêndio que deflagrou no sábado à tarde em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, e que foi dado como dominado na tarde de quarta-feira, provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos.

O fogo começou em Escalos Fundeiros, e alastrou depois a Figueiró dos Vinhos e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria.

Desde então, as chamas chegaram aos distritos de Castelo Branco, através do concelho da Sertã, e de Coimbra, pela Pampilhosa da Serra.

Este incêndio já consumiu cerca de 30.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais.

[Atualizada às 15h05]