Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Aldeias estão a ser evacuadas no concelho de Góis

Autarca de Góis admite que a situação se pode tornar “gravíssima” no concelho, depois de o incêndio ter chegado à União de Freguesias de Cadafaz e Colmeal

O fogo que lavra desde sábado no concelho de Góis sofreu um agravamento esta manhã, tendo já obrigado à evacuação de três aldeias, disse fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Coimbra.

"Estão a evacuar as aldeias Velha, de Candosa e de Carvalhal do Sapo", referiu. Um lar da terceira idade que pertence à Cáritas Diocesana de Coimbra foi também evacuado. A SIC avança por sua vez que a aldeia de Cadafaz foi também evacuada. De acordo com o “JN”, há várias pessoas que estão a recusar abandonar as suas casas em Cabreira.

O incêndio no concelho de Góis chegou à União de Freguesias de Cadafaz e Colmeal, depois de estar "praticamente dominado" na freguesia de Alvares, informou esta terça-feira o município, falando numa "situação grave que pode passar a ser gravíssima".

"Nós temos uma situação grave e se calhar pode passar a ser gravíssima porque o incêndio passou de Pampilhosa da Serra. Ficou praticamente dominado na freguesia de Alvares [em Góis], mas passou do concelho de Pampilhosa da Serra para uma outra freguesia do concelho de Góis e neste momento lavra com alguma intensidade", disse à agência Lusa a presidente da Câmara de Góis, Lurdes Castanheira.

O município de Góis faz fronteira com Pedrógão Grande e Castanheira de Pera, no distrito de Leiria, e com o concelho da Pampilhosa da Serra, no distrito de Coimbra, para onde as chamas progrediram, após deflagrarem no sábado, em Fonte Limpa.

"Há imensos meios, viaturas, meios aéreos, mas é outra freguesia [afetada] neste momento, é a União de Freguesias de Cadafaz e Colmeal", precisou Lurdes Castanheira.

A autarca explicou que "o vento foi de tal maneira forte que projetou" o fogo.

"Galgou o alcatrão, a estrada nacional 112, e passou para o concelho de Góis novamente, para outra freguesia", indicou.

"Estamos bastante preocupados", admitiu, notando que o combate às chamas "é difícil".

De acordo com a informação disponibilizada no site da Autoridade Nacional de Proteção Civil pelas 8h20, o incêndio em Góis está a mobilizar 692 operacionais, auxiliados por 237 viaturas e cinco meios aéreos.

(Atualizada às 12h49)