Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Bermas da EN 236 foram desmatadas no início de junho, diz a Ascendi

Marcos Borga

As bermas das estradas nacionais em redor do IC-8, como a EN 236-1, que liga Figueiró dos Vinhos a Castanheira de Pera, foram desmatadas e limpas há menos de duas semanas, respondeu ao Expresso a Ascendi, que gere a subconcessão Pinhal Interior

Na resposta ao Expresso, a empresa diz que os cortes de vegetação na EN236 “foram realizados integralmente entre 5 e 7 de junho”. E que no IC 8 “estão em curso desde maio, incluindo a zona onde se verificou o incêndio”.

A Infraestruturas de Portugal (IP) refere ao Expresso que, na rede viária a seu cargo, costuma limpar a vegetação, em média, duas vezes por ano, uma na primavera outra no outono. A desmatação abrange uma faixa de um ou dois metros no terreno adjacente à berma. É à IP que cabe verificar se a subconcessionária cumpre “todos os critérios do nível de serviço” determinado no contrato.

Mas, no caso deste incêndio no distrito de Leiria, “foram as árvores que ardiam, havia um fogo total”, diz uma fonte da IP. As chamas não tiverem origem nem foram potenciadas “pelo mato rasteiro das bermas”.

Em caso de emergência, os cortes e desvios de estradas “cabem à Proteção Civil”, diz a IP.

Manter e conservar

O contrato obriga a Ascendi a manter em “bom estado de funcionamento, conservação e segurança” as estradas que integram a subconcessão, “efetuando em devido tempo as reparações, renovações e adaptações que se tornem necessárias, de acordo com as disposições estabelecidas”. Mas, não vai ao detalhe de impor a frequência das operações de limpeza.

A subconcessão do Pinhal Interior, válida por 30 anos, foi a última adjudicada pelo governo de José Sócrates (abril de 2010) e acolhia no início uma rede viária de 520 km na zona centro do país - 163 km de nova autoestrada e 357 km de estradas existentes. Em agosto de 2012 a redução do âmbito do contrato cortou 22 km de autoestrada e retirou da concessão a conservação de 330 km de troços viários. Mas a fatídica EN 236 permaneceu a cargo da Ascendi.

No início de 2017, a Ascendi foi adquirida pelo fundo francês Ardian, deixando o universo empresarial da Mota-Engil.