Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Além de Hermínio Loureiro e Isidro Figueiredo, PJ deteve líder da concelhia do PSD

Entre as sete pessoas detidas esta segunda-feira no âmbito da Operação Ajuste Secreto está José Francisco Oliveira, líder da concelhia do PSD em Oliveira de Azeméis, juntando-se assim a um lista que inclui Hermínio Loureiro, presidente daquela autarquia entre 2009 e 2016, e o seu sucessor, Isidro Figueiredo, por indícios de corrupção. Buscas estenderam-se às câmaras de Gondomar, Matosinhos, Estarreja e Albergaria-a-Velha

José Francisco Oliveira, o presidente da comissão política do PSD em Oliveira de Azeméis, está entre as sete pessoas detidas esta segunda-feira pela Polícia Judiciária, no âmbito de um inquérito-crime baptizado de Operação Ajuste Secreto, que investiga suspeitas de corrupção ativa e passiva, prevaricação, peculato e tráfico de influência na forma como a Câmara de Oliveira de Azeméis adjudicou contratos a várias empresas (“manipulando as regras da contratação pública”, de acordo com um comunicado da PJ) e como alguns clubes desportivos locais terão sido beneficiados com subsídios de forma irregular. O Expresso confirmou o nome de José Francisco Oliveira, depois de terem sido confirmadas à hora de almoço as detenções de Hermínio Loureiro, ex-presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis entre 2009 e 2016, e de Isidro Figueiredo, o seu sucessor à frente da autarquia e atual candidato do PSD às eleições locais deste ano. Além dos três políticos do PSD, foram ainda detidos mais quatro empresários.

Numa operação que envolveu 90 inspetores da diretoria do Norte da Polícia Judiciária, foram feitas buscas não só na Câmara de Oliveira de Azeméis mas também nas autarquias de Gondomar, Matosinhos, Estarreja e Albegaria-a-Velha. Uma fonte próxima da investigação explicou ao Expresso que o alargamento das buscas a esses municípios está relacionado com o facto de as empresas suspeitas de corromperem os autarcas de Oliveira de Azeméis terem também contratos nos outros quatro concelhos. Os inspetores vasculharam, além disso, as instalações dessas empresas e as sedes de cinco clubes desportivos locais, que o Ministério Público acredita terem alegadamente beneficiado de subsídios de forma irregular. O Expresso confirmou que entre os clubes que foram alvo de buscas está o União Desportiva Oliveirense.

O inquérito-crime está a ser conduzido por dois procuradores da secção do Ministério Público de Santa Maria da Feira, que faz parte do DIAP (Departamento de Investigação e Ação Penal) de Aveiro e envolveu a realização de escutas telefónicas.

Esperar para ver

Contactado pelo Expresso, Salvador Malheiro, líder da comissão distrital de Aveiro do PSD e presidente da Câmara de Ovar, recusou-se a tirar para já ilações sobre eventuais consequências políticas deste caso. “Vamos deixar a justiça funcionar, espero que de forma célere, antes de o partido tomar posições.” Salvador Malheiro prefere aguardar as conclusões dos interrogatórios judiciais a que os detidos serão sujeitos esta terça-feira no Tribunal de Santa Maria da Feira. Só depois tomará uma decisão sobre se mantém a confiança política a Isidro Figueiredo e se irá continuar a apoiar ou não a sua recandidatura a presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis.

Segundo uma fonte local do PS, os vereadores socialistas de Oliveira de Azeméis apresentaram várias queixas, entre 2014 e 2015, ao Ministério Público que estavam “relacionadas com empreitadas de obras públicas por ajuste direto à revelia das mais elementares regras da transparência”. A par das denúncias foi ainda entregue “um conjunto de documentos que indiciam a prática de crimes de corrupção, sendo que nenhum deles na área do desporto”, adianta a mesma fonte. Já este ano os socialistas reportaram ao Ministério Público um conjunto de suspeitas sobre subsídios atribuídos a clubes de futebol locais e que mereceram o voto contra da oposição. “Votámos contra porque entendemos que não estavam a ser cumpridas as regras na atribuição de subsídios aos clubes, alegadamente para obras e relvados sintéticos”, avança a fonte do PS local.

  • Hermínio Loureiro detido por suspeita de corrupção

    Ex-presidente da Câmara de Oliveira de Azeméis é um dos sete detidos pela Judiciária do Porto por suspeita de crimes de corrupção, prevaricação, peculato e tráfico de influência. Isidro Figueiredo, atual presidente da Câmara, um secretário da autarquia e outros quatro empresários também foram detidos