Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Bombeiros pedem fruta para os quartéis mais próximos. Todos querem ajudar - saiba como fazê-lo

PAULO CUNHA / EPA

Presidente da Liga de Bombeiros pede a quem estiver próximo dos quartéis de Figueiró dos VInhos, Pedrógrão Grande, Castanheira de Pera e Alvares que traga sobretudo bananas, laranjas e barras energéticas. Misericórdias e Cruz Vermelha ajudam no terreno, Cáritas e CGD disponibilizam verbas

Quem estiver na região de Pedrógão Grande, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos e Alvares pode levar para os respetivos quartéis de bombeiros bananas, laranjas, barras energéticas como forma de ajudar os mais de mil homens que estão no terreno a combater as várias frentes de incêndio, indica o presidente da Liga dos Bombeiros, Jaime Marta Soares. "Estes são os produtos prioritários. Água também é importante, leite menos", diz, acrescentando, no entanto, que quem quiser dar outros contributos é bem-vindo.Apesar de não estar montado nenhum sistema organizado de distribuição que faça chegar os bens aos locais mais atingidos um sistema, várias corporações estão também a apelar à ajuda das pessoas. É o caso do Bombeiros Voluntários de Paço de Arcos, que deixam na sua página do Facebook a lista de produtos mais indicados.

Donativos e contas bancárias

No terreno são várias as associações que tentam ajudar as populações afetadas. Segundo a porta-voz das Misericórdias Portuguesas, Betânia Pagin, há dez unidades que estão a distribuir comida e água, a dar assistência médica e a fazer um levantamento das necessidades de acolhimento da população, nos distritos de Leiria e Coimbra. Nesta cidade, por exemplo, há capacidade para alojar 100 pessoas, caso seja necessário. E amanhã, vai ser aberta uma conta solidária no Montepio para quem quiser dar algum donativos.

A Cáritas Portuguesa disponibilizou uma verba de 200 mil euros para ajudar as populações no local.

Também a Caixa Geral de Depósitos se associou ao movimento, criando uma conta de solidariedade, cujo IBAN pode ser encontrado no seu site. O banco foi o primeiro a fazer um depósito, no valor de 50 mil euros.

Outra conta solidária foi criada pelo Montepio, instituição que anunciou também um donativo de 250 mil euros, a favor das vítimas dos incêndios. O IBAN pode ser confirmado no site do banco.

Por sua parte, a Cruz Vermelha está desde ontem a prestar apoio através do transporte de vítimas, aconselhamento psicossocial e distribuição de máscaras. Na operação estão envolvidas 25 estruturas locais.

O Santuário de Fátima, próximo da região afetada, anunciou que vai disponibilizar “ajuda material” para as vítimas do “grande incêndio” que atingiu Pedrógão Grande, assim que seja possível.

Na Internet, o site JustGiving, de crowdfunding, tenta angariar dez mil libras (cerca de 11.500 euros) para "ajudar as vítimas de Pedrogao Grande, Portugal". www.justgiving.com/crowdfunding/pedrogao-grande.