Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Estradas cortadas não teriam evitado que o fogo matasse 16 pessoas dentro do carro? “Foram apanhadas numa ratoeira”

Jaime Marta Soares, presidente da Liga dos Bombeiros, diz que nunca viu “uma situação destas” como a de Pedrógão Grande: incêndio matou pelo menos 24 pessoas (número entretanto atualizado para 61), 16 das quais apanhadas pelo fogo dentro do carro, e fez vários feridos

Questionado sobre se não era expectável que estivessem cortadas as estradas na zona envolvente ao incêndio em Pedrógão Grande que matou 24 pessoas (número entretanto atualizado para 61) este sábado, Jaime Marta Soares diz que “quando as pessoas entraram nessas estradas, o incêndio podia estar a quilómetros de distância”. “São coisas imprevisíveis. Foram apanhadas na ratoeira do fumo”, afirmou o presidente da Liga dos Bombeiros em reação à tragédia, na qual 16 das vítimas mortais foram apanhadas pelo fogo dentro dos seus carros. As declarações foram feitas quando o balanço apontava para 19 mortos, tendo subido para 24 (e, posteriormente, para 61).

“Não é momento para se fazer acusações. Isto é algo de anormal”, referiu Jaime Marta Soares. Não me ocorre que alguma vez tenha ocorrido uma situação destas”, acrescenta.

O incêndio em Pedrógão Grande, distrito de Leiria, deflagrou pelas 15h. O fogo matou 61pessoas, fez vários feridos, cercou aldeias e há desaparecidos. Marcelo Rebelo de Sousa deslocou-se para o local, onde disse que “não era possível fazer mais”.