Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Chefes de gabinete de Theresa May demitem-se devido a resultado eleitoral

Nick Timothy e Fiona Hill, chefes de gabinete da primeira-ministra britânica, demitiram-se na sequência do resultado eleitoral de 5a feira e a poucos dias do início das negociações do Brexit

Os dois chefes de gabinete da primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciaram hoje a sua demissão, depois do resultado eleitoral em que os conservadores perderam a maioria absoluta no parlamento, a alguns dias do início das negociações sobre o 'Brexit'.
"Assumo as responsabilidades na parte que me toca nesta campanha eleitoral e que têm a ver com a supervisão do programa", escreveu Nick Timothy numa carta publicada no 'site' "ConservativeHome", que é próximo dos 'Tories' (conservadores britânicos)
Depois de ter sido divulgada a carta de Nick Timothy, um porta-voz do partido Conservador britânico afirmou que Fiona Hill também se tinha demitido.
Enquanto responsáveis pela campanha eleitoral dos Tories, considerada "catastrófica" por diversos deputados conservadores, a sua posição estava muito fragilizada.
Além disso, após vários órgãos de comunicação social britânicos e pesos pesados do partido terem exigido a saída de Theresa May, se esta quisesse evitar uma rebelião ou cisão no seio do partido, a pressão era grande sobre os principais conselheiros.
Fiona Hill e Nick Timothy eram conselheiros de Theresa May desde que esta assumiu a pasta do Ministério do Interior, entre 2010 e 2016.
Dos 650 lugares na Câmara dos Comuns, o Partido Conservador elegeu 318, menos oito do que os necessários para uma maioria absoluta, e menos 12 do que aqueles que tinha antes das legislativas antecipadas.
O Partido Trabalhista adicionou 33 lugares aos 229 que possuía, somando 262 deputados, enquanto em terceiro ficou o Partido Nacionalista Escocês, que perdeu 21 lugares, ficando com 35 assentos.
Os Liberais Democratas, por sua vez, ganharam três lugares, passando a 12, o Partido Democrático Unionista, da Irlanda do Norte, tem mais dois assentos, passando a dez, o Sinn Féin alcançou mais três, passando a deter sete cadeiras, os nacionalistas galeses do Plaid Cymru têm agora quatro lugares (mais um), os Verdes um e foi eleito um deputado independente pela Irlanda do Norte.
A primeira-ministra britânica, Theresa May, anunciou que irá formar um Governo com o apoio do Partido Unionista Democrático da Irlanda do Norte para garantir uma maioria absoluta na Câmara dos Comuns, e reuniu-se, na sexta-feira, com a rainha Isabel II.