Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Maio foi o terceiro mais quente desde 1931

NFACTOS / FERNANDO VELUDO

Temperatura máxima foi em média quatro graus acima do valor normal para a época

Maio foi o terceiro mais quente em Portugal Continental desde 1931, quando começaram os registos regulares das temperaturas, e foi um mês normal em relação à precipitação, revela o último Boletim Climático do Instituto Porttuguês do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O primeiro e segundo meses de maio mais quentes aconteceram em 2011 e 2015, respetivamente. Em 2017, o valor da temperatura média do ar em maio foi de 18.47 °C, ou seja, 2,74 °C acima do valor normal para época, tendo como referência o período de 1971-2000.
O valor da temperatura máxima do ar, 24.96 °C, foi o segundo mais alto desde 1931, com uma
anomalia de mais quatro graus.

O IPMA constata que "ao longo do mês a temperatura apresentou grande variação, sendo de realçar os valores muito altos da temperatura máxima do ar, muito superiores aos valores normais para o mês, nomeadamente a partir do dia 20".

Os dias 23 a 25 foram os mais quentes, com valores de temperatura média superiores a
23 graus. Nestes dias os valores médios da temperatura máxima foram superiores a 30 °C.
Os maiores valores da temperatura máxima do ar, 35 graus ou mais, observaram-se nos dias 24 e 25.E no período de 20 a 27 de maio ocorreu uma onda de calor nas regiões do interior Norte e Centro e Alentejo.

Quanto à precipitação, maio classificou-se como normal, com 93% do valor médio para a época (66,1 milímetros). A situação de seca mantém-se em quase todo o território de Portugal Continental, verificando-se um desagravamento na região Noroeste do território e um agravamento na região Sul em relação a abril, com o aumento da área em seca moderada para 70% do território.