Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

CDS apela a sindicatos de professores para que greve não coincida com exames

“No CDS não pomos em causa o direito à greve, mas a escolha do dia para exercer essa greve é consciente e deliberada”, afirmou a deputada Ana Rita Bess

A deputada democrata-cristã Ana Rita Bessa pediu esta terça-feira aos sindicatos de professores para que não fizessem coincidir eventuais greves com datas de exames nacionais, em declarações aos jornalistas no parlamento.

Este apelo foi feito quando ainda decorriam as reuniões entre o Ministério da Educação e os sindicatos.

“No CDS, não pomos em causa o direito à greve, mas a escolha do dia para exercer essa greve é consciente e deliberada”, afirmou nessa altura Ana Rita Bessa.

Para a parlamentar do CDS-PP, "quem boicota exames nacionais para defender concursos de professores não é, seguramente, um bom defensor da escola pública", pois a greve é "penalizadora daqueles que menos responsabilidade têm em questões laborais que são os alunos".

"Aguardamos com expectativa que Ministério e sindicatos, particularmente os sindicatos, alterem, pelo menos, a data prevista para esta greve", apelou.

Seis sindicatos de professores entregam esta terça-feira no Ministério da Educação um pré-aviso de greve para o dia 14, exigindo nomeadamente o descongelamento de carreiras e um regime especial de aposentação.

Os "seis sindicatos independentes" que assinam o pré-aviso (ASPL, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SIPE, SIPPEB e SPLIU) divulgaram a decisão em comunicado, no qual a justificam com a "ausência de respostas" a questões como condições e horários de trabalho bem definidos, combate à precariedade docente, e "maior eficácia, eficiência e humanismo no funcionamento dos agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas".

Entretanto, os dois maiores sindicatos de professores, FNE e Fenprof, confirmaram esta tarde que vão convocar uma greve, mas para o dia 21.

O secretário-geral da Federação Nacional da Educação (FNE) já veio dizer, após uma reunião com a tutela, que as respostas do Ministério da Educação são "claramente insuficientes" para evitar que a greve seja feita.

  • Professores marcam greve para dia de exame nacional

    Após a reunião com o ministro da Educação, as duas maiores estruturas sindicais, FNE e Fenprof, confirmaram a entrega, em separado, de pré-avisos de greve para 21 de junho, dia em que estão marcados os exames nacionais de Física e Química, Geografia e História