Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Descoberto o planeta mais quente do universo

Mais quente do que a maioria das estrelas, mas mais frio do que o Sol, o 'gigante gasoso' KELT-9b é quase três vezes maior do que Júpiter

Uma equipa internacional de astrónomos detetou um planeta fora do Sistema Solar (exoplaneta) mais quente do que a maioria das estrelas, mas mais frio do que o Sol, segundo um estudo publicado na revista Nature.

O 'gigante gasoso' KELT-9b é quase três vezes maior do que Júpiter, mas menos denso do que o maior planeta do Sistema Solar, e orbita a estrela maciça KELT-9, localizada a 650 anos-luz da Terra, na constelação do Cisne.

O exoplaneta em causa tem uma temperatura diurna que pode chegar aos 4.323,85 graus célsius, sendo por isso mais quente do que a maioria das estrelas. Em relação ao Sol, é mais frio em 926,8 graus célsius, destaca em comunicado a Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, que participou no estudo.

A radiação ultravioleta emitida pela estrela é tanta que o planeta pode estar a evaporar-se, a ponto de produzir uma cauda de gás brilhante, como a de um cometa.

Uma vez que o KELT-9b é extremamente quente, no lado que está iluminado, não permite a formação de moléculas de água, dióxido de carbono e metano, elementos associados à vida.

A razão por que o planeta é tão quente é porque a estrela KELT-9 tem mais do dobro do tamanho do Sol e é quase tão quente como o Sol.

Dada a proximidade entre a órbita do planeta e a estrela, o KELT-9b poderá vir a ser 'engolido' pela estrela se esta se expandir.

O KELT-9b foi descoberto pelo método de trânsito, que deteta uma variação da luz causada por um planeta quando transita diante da sua estrela hospedeira, com o auxílio do telescópio KELT-Norte, do Observatório Winer, no Arizona, nos Estados Unidos.