Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Polémica sobre a origem de Colombo divide investigadores: afinal o navegador era genovês, português ou catalão?

Colombo anuncia aos Reis Católicos de Espanha, Fernando e Isabel, a descoberta da América (quadro de Emanuel Leutze, 1843) 

Brooklyn Museum

Quatro investigadores da história do almirante e o presidente da Associação Cristóvão Colon contestam a tese do historiador Luís Filipe Thomaz de que Colombo não era português nem espião do rei D. João II

Virgílio Azevedo

Virgílio Azevedo

Redator Principal

A polémica sobre a origem de Cristóvão Colombo, uma das figuras mais misteriosas dos Descobrimentos, continua depois de o Expresso ter divulgado na edição em papel de 22 de abril que o historiador Luís Filipe Thomaz pubicara nos "Anais de História de Além-mar", revista científica do Centro de História d'Aquém e d'Além-mar (CHAM) da Universidade Nova de Lisboa, um extenso artigo de 60 páginas onde defende que o navegador não era português nem espião do rei D. João II.

Quatro investigadores da história de Cristóvão Colombo - Fernando Branco, José e António Mattos e Silva e Manuel Rosa - e o presidente da Associação Cristóvão Colon, Carlos Calado, contestam também em extensos artigos enviados para o Expresso os argumentos de Luís Filipe Thomaz, referindo mesmo a existência de dois Cristóvão Colombo. Devido à extensão dos vários artigos, o Expresso online resolveu publicá-los na íntegra, de modo a que os nossos leitores possam comparar os vários argumentos ponto por ponto.

A polémica surge na altura em que se comemoram os 511 anos da morte do almirante e em que a Associação Cristóvão Colon acaba de inaugurar a sua nova sede na vila de Cuba, no Alentejo. Ao mesmo tempo, está a decorrer um projeto da Universidade de Coimbra e do Instituto Superior Técnico para analisar o ADN extraído das ossadas de António Ataíde e do seu pai Álvaro Ataíde, dois homens que viveram nos séculos XV e XVI e que são familiares do corsário Pedro Ataíde, fidalgo que teria adotado o nome de Cristóvão Colon.

Para ler o artigo de Luís Filipe Thomaz clique AQUI

Para ler o artigo de Fernando Branco clique AQUI

Para ler o artigo dos irmãos José e António Mattos e Silva clique AQUI

Para ler o artigo de Manuel Rosa clique AQUI

Para ler o artigo de Carlos Calado clique AQUI

Para ler o 1º artigo de José Mattos e Silva clique AQUI

Para ler o 2º artigo de José Mattos e Silva clique AQUI

Para ler o 3º artigo de José Mattos e Silva clique AQUI