Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Quer estacionar o carro em Lisboa? A Câmara promete-lhe novos parques com mais 8865 lugares

Os novos parques de longa duração, como o da Ameixoeira, servem para deixar os carros à entrada da cidade por €0,50 diários

Foto Tiago Miranda

Os carros que entram todos os dias na capital vão dispor de grandes parques de estacionamento de longa duração, para não circularem dentro da cidade

Depois dos jardins, Lisboa vai apostar nos estacionamentos. Este é o plano estratégico para as novas obras que serão promovidas pela autarquia. O presidente Fernando Medina tem pronto um ambicioso plano que criará 17 novos parques com cancela, que, somados aos 10 parques abertos desde agosto de 2016, vai criar uma capacidade adicional de 7582 lugares de estacionamento de longa duração. Além destes parques, ainda serão criadas mais 12 zonas de estacionamento de duração limitada, sem cancela e com parquímetros de bilhete diário, com capacidade para 1283 lugares. Ao todo, até ao final do primeiro semestre, Lisboa terá mais 8865 lugares para estacionar veículos.

Já há vários anos que o problema da falta de estacionamento em Lisboa tem vindo a ser agravado pelo aumento dos carros que diariamente entram na cidade, vindos de zonas limítrofes, num fluxo orientado pelas deslocações pendulares constantes, de casa-trabalho, e trabalho-casa.

Câmara quer parques “dissuasores”

Para travar esta entrada diária de viaturas no centro de Lisboa, a Câmara anunciou agora a abertura em junho de um parque “dissuasor” na Ameixoeira - destinado a reter os veículos que entram em Lisboa, proporcionando-lhes estacionamento durante um dia, por um custo de 50 cêntimos diários.

Trata-se do parque localizado na zona de Santa Clara que cria 457 lugares à superfície e que se encontra em fase de obra. Mas este é apenas um dos 27 parques que a autarquia de Lisboa tem no seu último plano de estacionamento, onde se incluem 10 parques que já entraram recentemente em funcionamento. São, designadamente, os parques na zona de São Vicente, com 67 lugares no largo da Graça, mais 60 lugares no pavilhão da Graça, mais os 118 lugares do mercado de Alvalade, os 161 lugares subterrâneos no Lumiar, os 135 lugares na zona de Santo António, os 210 lugares na Misericórdia, a Santos, os 214 lugares em Alcântara e ainda um conjunto de três parques no Lumiar, na zona de Telheiras, com capacidade para 158, 109 e 57 lugares.

Estacionamentos com cancela

A partir de junho, o parque “dissuasor” de Santa Clara, na Ameixoeira, vai iniciar uma vaga de inaugurações de zonas de estacionamento com cancela, destinadas a reter durante um dia inteiro os carros que chegam todas as manhãs a Lisboa. É o caso do processo de requalificação da área da Tóbis no Lumiar (que cria 84 lugares de estacionamento), do reaproveitamento do estacionamento subterrâneo do estádio do Benfica (que disponibilizará 800 lugares), do subterrâneo do estádio de Alvalade (mais 220 lugares), do quartel da GNR na Graça (mais 84 lugares) do subterrâneo do Campo das Cebolas (com 206 lugares) ou dos 400 lugares do parque da Pontinha, destinado a apoio da Feira Popular (que terá um subterrâneo e dois pisos acima do solo).

Feira Popular na Pontinha terá maior parque de Lisboa

Entre os maiores parques conta-se igualmente a segunda fase do parque da Feira Popular na Pontinha, que terá mais 1800 lugares de estacionamento e estará pronto no primeiro semestre de 2018, confirmou o Expresso junto de fontes da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL).

Segue-se o parque do Areeiro (localizado atrás da bomba de gasolina do início da avenida Gago Coutinho), que terá 411 lugares e estará pronto no quarto trimestre de 2017, o parque de Pedroços, em Belém, com 400 lugares (que está mais atrasado do que era previsto). A seguir, estarão os 370 lugares do parque do centro comercial da Bela Vista, em Marvila, a segunda fase do mercado do Rato, com 310 lugares , os 238 lugares do complexo desportivo do Casal Vistoso, no Areeiro, e os 226 lugares da piscina de Campo de Ourique.

Parquímetros com bilhete diário

Além destas infraestruturas destinadas ao estacionamento de longa duração, com cancelas, a Câmara Municipal de Lisboa pretende criar novas zonas de estacionamento de duração limitada, sem cancelas, onde instalará parquímetros com bilhetes diários.

O maior de todos foi instalado em Alvalade, na Quinta das Confeiteiras, que já se encontra em exploração, com 248 lugares, tal como o de Campo de Ourique, que já está a funcionar, com 161 lugares. No segundo trimestre está prevista a abertura do parque da Cordoaria Nacional, em Belém, com 229 lugares e o parque da praça Pasteur, no Areeiro, com 130 lugares. Os restantes parques com parquímetro de bilhete diário terão entre 22 lugares (em Pedrouços) e 99 lugares (na avenida José Malhoa, em Campolide).