Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Greve na função pública: turno da noite nos hospitais em serviços mínimos

Em Aveiro, Coimbra, Leiria, Viseu, Porto, Braga e no hospital do Tâmega e Sousa o cenário é comum, Em Lisboa, a adesão variou entre os 100% e os 50%, diz a Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais

O primeiro balanço oficial da greve nacional da função pública desta sexta-feira, apresentado pela frente sindical, aponta para um cenário de serviços mínimos no turno da noite dos hospitais portugueses.

Em Lisboa, a FNSTFPS - Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais refere percentagens de adesões que variam entre os 100%, nos hospitais Beatriz Ângelo e de S. José, e os 50%, nas urgências pediátrica e de obstetrícia/ginecologia do Hospital de Santa Maria.

Ainda no Santa Maria, a adesão no serviço de internamento foi de 92%, enquanto no Hospital de S. Francisco Xavier ficou nos 90% e no Hospital dos Capuchos foi de 70%.

No Porto,Gaia e Matosinhos, o centro Hospitalar de Gaia, o Centro Hospitalar de Pedro Hispano, o centro Hospitalar do Porto (Santo António) e o Hospital de S. João, funcionaram durante a noite com serviços mínimos, tal como noutros concelhos do país, de Aveiro a Coimbra, Leiria, Viseu ou Braga, refere o comunicado da FNSTFPS, sem avançar qualquer comentário sobre estes números.

  • Funcionários públicos em greve esta sexta-feira

    Os funcionários públicos estão hoje em greve. A paralisação pode fechar algumas escolas, centros de saúde e outros serviços públicos. O fim da precariedade e o reforço de pessoal são duas das reivindicações do protesto