Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

85% das praias europeias são excelentes para banhos

Nuno Botelho

Mais de 85 por cento das zonas balneares europeias “satisfaziam as mais rigorosas normas de qualidade” e mais de 96 por cento satisfazem os “requisitos mínimos de qualidade”, garante a Agência Europeia do Ambiente, num relatório divulgado esta terça-feira. Portugal enquadra-se nesta média, estando em 9º lugar em termos de número de praias excelentes

Carla Tomás

Carla Tomás

Jornalista

Ao longo das últimas quatro décadas, as águas balneares europeias têm vindo a revelar-se cada vez mais limpas. A “tendência positiva” é confirmada esta terça-feira pela Comissão Europeia, com base no relatório anual da Agência Europeia do Ambiente (AEA). Portugal segue esta tendência.

Com base nas análises feitas em 2016 a amostras de água recolhidas em 21.288 zonas balneares costeiras e interiores dos 28 Estados membros, a Agência Europeia conclui que 85,5% das zonas balneares (18.246 praias) têm água de excelente qualidade. O que revela uma subida de 1,1% face ao ano anterior.

Para o Comissário responsável pelo Ambiente, Assuntos Marítimos e Pescas, Karmenu Vella, “a excelente qualidade de águas balneares europeias não é um mero acaso” e, acrescenta, “demonstra a importância das políticas da UE que promovem o desenvolvimento de postos de trabalho verdes”.

Portugal em 10º

Em termos percentuais, Portugal fica em 10º lugar (ex aequo com a Lituânia) com 85,1% das suas 579 praias classificadas como tendo água excelente para banhos. Se só contassem as águas costeiras subiria para 89%.

Mas é preciso explicar estes números. No primeiro lugar deste ranking está o Luxemburgo que tem apenas 11 praias na lista (todas interiores - lagos e rios) e atinge a excelência em 100% delas. Segue-se o Chipre com 99,1% das suas 113 praias excelentes, Malta (98,9% em 87), Grécia (97% em 1542), Áustria (95% em 264), Croácia (94% em 949), Alemanha (90,8% em 2292), Itália (90,8% em 5518), Dinamarca (85,9% em 1036).

Em termos de número total de praias classificadas como excelentes, Portugal ocupa o nono lugar (493), atrás de Itália (5013), França (2581), Alemanha (2081, Espanha (1853), Grécia (1496), Croácia (893), Dinamarca (890) e Holanda (537).

“É encorajador ver que um número cada vez maior de zonas balneares em toda a Europa cumpre as normas de qualidade mais elevadas”, afirma em comunicado Hans Bruyninckx, diretor executivo da AEA. Para este responsável, os resultados mostram “a eficácia das nossas políticas ambientais e os benefícios práticos para a proteção da saúde humana”.

As análises microbiológicas realizadas têm por objetivo detetar se existe ou não contaminação fecal por poluição oriunda das águas residuais ou da agropecuária. A percentagem de águas com qualidade suficiente para banhos é de 96,3%. Contudo, 1,4 % das águas balneares da União Europeia (300 praias) revelou “qualidade medíocre”. Em Portugal a má qualidade foi registada em quatro praias, e os piores resultados foram detetados em Itália (95 zonas balneares), França (82) e Espanha (39).