Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Rui Moreira sem interesse em que o Porto acolha o Festival da Eurovisão

Face aos custos envolvidos, o presidente da Câmara não considera o evento “importante” para a cidade

MAFALDA GANHÃO E ANDRÉ MANUEL CORREIA

A ideia de acolher no Porto o Festival Eurovisão em 2018 não seduz Rui Moreira. Atendendo aos custos envolvidos na organização do evento, o atual presidente da autarquia nortenha não o considera “muito importante" para a cidade, posição que defendeu esta terça-feira na reunião camarária.

“No caso de haver um concurso público, se a Câmara Municipal do Porto tiver de entrar com 30, 40 ou 50 milhões, nós diremos: ‘Não precisamos, muito obrigado’”, afirmou Rui Moreira.

O assunto foi abordado pelo vereador do PSD Ricardo Almeida, ao defender que a RTP devia abrir um concurso para a atribuir a organização do festival. O responsável social-democrata não quer que a decisão seja tomada “num diretório em Lisboa” e “sem qualquer transparência”. Nesse sentido, incitou Rui Moreira a “liderar um processo, com o envolvimento de outros municípios da Área Metropolitana do Porto ou da região, para forçar a estação televisiva a realizar um concurso público”.

Rui Moreira aludiu então ao orçamento que vem sendo referido, defendendo que é muito elevado. “Acho que não é uma coisa muito importante para nós”, afirmou.

Para o presidente da Câmara, deve ser a cidade que irá acolher o festival a pagá-lo, mas se é este o custo envolvido o Porto fica de fora. “Dispenso”, concluiu.

(Texto atualizado às 18h15)