Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Caminhando e cantando até Fátima (vídeo)

Rui Duarte Silva

O Expresso acompanhou em exclusivo os últimos quilómetros da maior peregrinação a Fátima. São mais de dois mil jovens de Lisboa que pertencem ao movimento “Eu Acredito”, do Patriarcado. À sua espera no santuário estavam outros jovens do mesmo movimento do Porto. Veja os vídeos

Dois mil pulmões jovens a gritar “Nós somos a juventude do Papa”. “Papa Francisco, cadê você, eu vim aqui só para ver você”. “Papa Chico!”, assim, animados, irreverentes, alegres, a maior peregrinação do país aproximava-se do santuário.

Nos arredores de Fátima, entre o cemitério e a “igreja antiga”, aquela onde foram batizados Francisco e Jacinta, eles foram chegando aos bocadinhos. À frente dois porta estandartes, João, 20 anos, estudante de gestão, e Gonçalo, 24 anos, licenciado em Direito. Atrás, a segurar a faixa azul do movimento Eu Acredito, as raparigas.

No ar e em todo o lado, as canções. Em português, inglês, ameaças de italiano ou com sotaque brasileiro. A afinação não interessa, o que interessa é o entusiasmo, afinal, como explicam, a fé não tem língua. “Acima de tudo, a fé”, garante o João. Vergonha de ser jovem e carregar a bandeira da Igreja? “Nem pensar, a Igreja tem uma história de dois mil anos e foram tantos os que já deram a cara”, sublinha Gonçalo,

“Estamos com o Papa!”, não se calam. Haja quem os ouça e aos poucos, na beira da estrada, as palmas vão-nos acompanhando. Saíram de Lisboa às quatro da manhã, em três comboios fretados, chegaram à estação de chão de Maçãs e começaram a caminhar. Pela frente, 18 quilómetros. Nada que os assuste.

A cada grupo de 250 jovens, um carro de apoio, oito no total. No sentido inverso seguiam os mil do Porto. Uma mancha azul de fé, caminhando em passadas ritmadas em direção ao santuário. “Emanuel, Emanuel”, o ritmo acompanha os passos e, se alguém para, é engolido pelo grupo.“Olha o carro”, grita alguém lá de trás para os mais distraídos.

O movimento começou a ser preparado há dois anos, no foco, a celebração do centenário das aparições. À festa, juntou-se a visita do Papa e, depois, a canonização de Francisco e Jacinta. Estava composto o cenário de uma explosão de alegria.

Dos três mil, 700 sabem onde vão dormir, têm um teto, o Colégio centro de estudos de Fátima. Os outros 2300, acampam na praça do santuário. Às três da manhã desta sexta-feira terão a responsabilidade de animar a vigília que se segue à Procissão das Velas.

Nos últimos cem metros, dão os braços e garantem:“Eu acredito!”Ninguém lhes fica imune, palmas os recebem. Eles são a juventude do Papa.