Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fátima, Benfica, Salvador Sobral: dez dicas para escapar ao 13 de maio mais agitado de sempre

Sábado é dia de Papa. Possivelmente de tetra. E também do miúdo que fez Portugal apaixonar-se pela simplicidade. Mas se Benfica, Francisco e Salvador Sobral não forem bem o que procura, este guia é para si. E até temos uma aplicação fundamental para evitar o mais que provável muito trânsito

Um filme
“A minha vida de courgette”

Crescer não á fácil. E quando os pais não estão por perto, mais difícil é. A dramática infância de Ícaro, um menino de nove anos que é levado para um orfanato, dá o mote para o arranque de “A minha vida de Courgette”. Um filme sobre amor, amizade e esperança, mas também sobre o abandono e a violência.

“É uma animação muito comovente sobre a infância e as dificuldades da infância, com um sinal de esperança para essas mesmas dificuldades”, justifica Francisco Ferreira, crítico e coordenador da secção de cinema do Expresso. “É um filme singular e muito importante para o cinema europeu. É para a família. É para as crianças, mas também é muito sedutor para aos adultos que as acompanham”, acrescenta.

Os 66 minutos do filme são a prova que animação não é apenas sinónimo de gargalhada fácil, com personagens trapalhonas ou diálogos tontos. O filme foge à típica técnica de animação que tem sido quase imposta pela indústria cinematográfica norte-americana e pelos grandes estúdios. “É muito interessante ver um filme feito em stop motion com bonecos de plasticina”, sublinha.

O filme têm estreia marcada para esta quinta-feira. Embora os horários e os locais ainda não estejam disponíveis, é certo que Courgette estará nos cinemas por todo o país. Se quiser saber ainda mais sobre o filme que estreou em Cannes, venceu o Monstra (o festival de animação de Lisboa) e que esteve nomeado para o Óscar de melhor animação (mas perdeu para o candidato da Disney, “Zootopia”), poderá ler uma entrevista ao realizador Claude Barras na edição de sábado da Revista E.

“Há um bocadinho de futebol no filme, que é o que eles jogam no recreio. Mas não há nenhum Papa pelo meio”, comenta divertido Francisco Ferreira.

Ainda no sábado, se não é dado aos bonecos e ainda não é desta que lhes quer dar uma hipótese, pode passar pelo Indie Lisboa. Os filmes a concurso vão ser novamente exibidos e, para as 23h, está marcada a cerimónia de entrega de prémios e a festa de encerramento na garagem da Culturgest. A entrada na festa é gratuita. Os bilhetes para os filmes são €4.

Um disco
“In Mind”, Real Estate

Lançado há menos de um mês, “In Mind” é o quarto álbum de originais dos norte-americanos Real Estate. A sugestão é do editor da revista “Blitz”, Luís Guerra.

“Havia no início dos anos 80 a cores uma publicidade na televisão que ficou na boca do povo: ‘e se um desconhecido, de repente, lhe oferecer flores?’. O desodorizante, crê-se, já não existe e o mote seria hoje, provavelmente, entendido como abusivo. Mas, com as cores de hoje e as guitarras cristalinas de sempre, os norte-americanos Real Estate não querem fazer outra coisa que não seja, de facto, oferecer-lhe flores. São os magníficos impulsos da primavera espelhados num quarto álbum, “In Mind”, que é um ótimo convite para trocar cromos com o sol que há de espreitar. Imagine um enorme relvado sem balizas”, descreve Luís Guerra.

O disco está disponível nas habituais plataformas, como o Spotify e iTunes (€9,99). Se é dos que continua a preferir ter o disco nas mãos, então pode encontrá-lo nas lojas especializadas e nas grandes superfícies, com um custo a rondar os €15.

Um livro
“O Grande Baro e outras histórias”

São mais de 30 contos diferentes recheados de humor negro, e inconformismo, que se um livro de contos que se entrega “nos braços do absurdo”. Quase um espelho do próprio autor, Virgilio Piñera. O escritor foi (e ainda é) um dos nomes maiores da literatura cubana, que foi obrigado a procurar refúgio na Argentina. “O Grande Baro e outras histórias” é o primeiro livro de Piñera que chega a Portugal. E vem pelas mãos da Livraria Snob.

“Estas histórias curtas de um escritor cubano heterodoxo são um bálsamo de invenção e desmembramento da moral burguesa, com personagens que rompem com as lógicas estabelecidas e tocam no cerne, tantas vezes desconexo ou perverso, da existência. É um instrumento perfeito para um plano de fuga à histeria global”, justifica José Mário Silva.

No sábado vai estar de chuva. Segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera estão previstos aguaceiros para todo o país e temperaturas a rondar os 18 graus. Se a Primavera não vem dar o ar de sua graça e o tempo não está para passeios, então nada melhor do que ficar no sofá com um livro na mão. Os contos de Piñera estão disponíveis na loja online da Livraria Snob.

Espetáculos
“Celui qui tombe” e Carla Dal Forno

Os seis bailarinos desafiam a gravidade numa plataforma móvel

Os seis bailarinos desafiam a gravidade numa plataforma móvel

Geraldine Aresteanu

Uma plataforma móvel. Seis bailarinos. Dança e novo circo. Tudo isto num só espetáculo que desafia as leis da gravidade num jogo de movimento. Este sábado está em cena no Coliseu do Porto, às 21h30 (entrada tem um custo de €10).

O criador francês Yoann Bourgeois é um dos mais recentes nomes em destaque no novo circo, mas que conta com uma vasta carreira: foi bailarino, acrobata, malabarista, ator, bailarino… Toda esta experiência foi transportada para este espetáculo.

“Tem um conceção muito extensível, hipnotizante, que cruza a dança e o novo circo. Desafia as imagens comuns, ao ponto de não acreditarmos no que estamos a ver”, diz Cláudia Calhós, crítica de dança e teatro do Expresso. “É inteligente e poético. Cria imagens sobre a vida, de cair e levantar. Uma estratégia cénica e visual que requer muita imaginação. Uma peça muito completa que não só entretêm e é extraordinária como tem conteúdo poético”, acrescenta.

Se preferir a música à dança ou se estiver mais a sul, pode sempre optar por ouvir Carla Dal Forno, que está pela primeira vez em Portugal para apresentar aquele que é “o seu primeiro disco à séria”.

“Acho que é um dos grandes discos do ano passado. É lindíssimo, esteve em várias listas dos melhores do ano passado”, refere Rui Tentúgal, coordenador da secção de música da Revista E.

“You Know What It's Like” foi descrito pela revista “Pitchfork” como um trabalho “cinzento e ameaçador”, que fervilha tanto “musicalmente como tematicamente” enquanto Dal Forno “habita na melancolia dos arranjos como um fantasma”.

A cantora australiana sobe este sábado ao palco do ZDB (Galeria Zé dos Bois), no Bairro Alto, em Lisboa, pelas 22h. Os bilhetes custam €8.

Televisão
“Genius” e “The Young Pope”

Dusan Martincek

Como seria Albert antes de ser Einstein? Quem era o homem por trás do génio que mudou o mundo? No total, são 11 episódios em que ator Geoffrey Rush dá corpo ao cientista e mostra o outro lado, que quase ninguém conhece. “Genius” marca a estreia da National Geographic em projetos de ficção.

“A série vai fazendo vários saltos temporais, mostrando episódios do cientista, e apresentando personagens das quais pouco ouvimos falar. As mulheres têm um grande peso na vida de Einstein e são muitas vezes esquecidas no meio da biografia dele. Mileva Marić, a primeira mulher, teve um papel fundamental no início da vida de Einstein enquanto cientista e Elsa Einstein, a segunda, foi uma espécie de gestora de carreira”, comenta o jornalista João Miguel Salvador.

A partir da 13h deste sábado, pode acompanhar no National Geographic dois episódios da série classificada com 8,4 no IMDB. “Há outras coisas giras, como o facto de a série ser antológica. A segunda temporada será sobre um novo génio.” Mas essa já não chega a tempo de sábado.

DR

Bem sabemos que a promessa é fugir. E estamos a fugir. Apesar do enredo se centrar no chefe máximo da Igreja Católica, “The Young Pope” está bem longe de ser sobre aquilo que se espera que seja. É o oposto (e a Santa Sé recusou-se a colaborar com a produção). Vira do avesso o Vaticano, transformando-o no que poderia ser “um possível futuro distópico”.

“Desengane-se quem pensar que nesta série de Paolo Sorrentino vamos conhecer um novo papa bondoso e conciliador, pois ‘The Young Pope’ conta a história do revolucionário e jovem Pio XIII, o primeiro Papa norte-americano. O novo Sumo Pontífice é completamente diferente do seu antecessor e vai mudar a Igreja Católica por completo. Será o céu o limite? Não sabemos, até porque Sorrentino está a trabalhar numa possível segunda temporada”, justifica João Miguel Salvador.

A primeira (e, até agora, única) temporada da série, que conta com os atores Jude Law e Dianne Keaton nos principais papéis, está atualmente disponível no Nplay, uma espécie de Netflix para os clientes NOS.

Uma app
Waze

Waze

A autoestrada do norte (A1) será uma das mais movimentadas do dia. Espera-se que estejam em Fátima, este sábado, perto de um milhão de pessoas. Entre idas e vindas, serão milhares a circular nas estradas. Depois, caso o Benfica se sagre campeão, o Marquês de Pombal, bem no centro da cidade de Lisboa, deve ficar cheio e cortado ao trânsito (lembra-se como foi no ano passado? E no ano anterior?).

Para fugir (literalmente) a toda esta confusão, a Exame Informática sugere que explore a Waze, um aplicação que controla os fluxos do trânsito, disponibiliza informações como os limites de velocidade na zona em que se está a circular e indica a presença da polícia.

“É uma app gratuita e que já funciona bastante bem em Portugal”, sublinha o jornalista Sérgio Magno. “Além de incluir praticamente todas as estradas nacionais, esta app é imbatível no cálculo dos melhores itinerários considerando o estado do trânsito em tempo real e os cortes de circulação provisórios. O que significa que vai ser bem útil para evitar os mais que prováveis condicionamentos de trânsito dos próximos dias”, justifica.

A app distingue-se pelo facto de os próprios condutores poderem partilhar aquilo que encontram no caminho. Imagine que vai na autoestrada e dá de caras com um acidente. Enquanto não se resolve, o trânsito vai-se acumulando e fica uma fila com alguns quilómetros. Se quiser, pode partilhar a informação com os outros utilizadores da Waze, para que estes consigam fugir à confusão.

A aplicação pode ser descarregada na AppStore e na PlayStore.

Desporto
Um centenário a duas rodas

Vincenzo Nibali conquistou a camisola rosa em 2016. Em 201,7 quer repetir o feito para homenagear Scarponi…

Vincenzo Nibali conquistou a camisola rosa em 2016. Em 201,7 quer repetir o feito para homenagear Scarponi…

FOTO Stringer/ REUTERS

Se o objetivo é esquecer o futebol, então a sugestão passa pelas duas rodas. Quer ver desporto no sábado? Experimente sintonizar na volta a Itália. A sugestão é dada pela Tribuna Expresso, que, apesar de estar em cima dos acontecimentos do Benfica-Guimarães (desculpe, mas foi inevitável falar em futebol), não esquece aquela que é a centésima edição do Giro.

“Não é a Volta a França, mas vale a pena seguir atentamente a 100ª edição do Giro, não só porque tem três ciclistas portugueses em competição - José Mendes, José Gonçalves e Rui Costa - e costuma ser conquistada por nomes de topo, mas também porque é transmitida pela Eurosport, o que quer dizer que o comentador é um tipo inimitável chamado Olivier Bonamici”, explica Mariana Cabral, coordenadora da Tribuna.

Bonamici diz coisas como “gostava de apresentar um talk show assim: todo nu, a comer uma feijoada e a falar da Fundação Gulbenkian”. Se não ligar muito ao ciclismo, tem pelo menos a garantia de comentários surpreendentes.

Até há uns tempos, os melhores do mundo apontavam baterias exclusivamente à Volta a França, mas isso tem vindo a mudar: Vincenzo Nibali venceu em 2013 e 2016, Nairo Quintana em 2014, e Alberto Contador em 2015.

A oitava etapa da prova, que liga Molfetta a Peschici (qualquer coisa como 189 quilómetros), é transmitida no canal desportivo Eurosport, com várias emissões dedicadas ao Giro previstas ao longo do dia e acompanhando em direto a partir das 12h.