Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Aeroporto de Lisboa retoma normalidade, mas há ainda voos com atraso

Ainda se verificam atrasos de alguns voos no aeroporto Humberto Delgado, devido ao problema ocorrido na quarta-feira no abastecimento dos aviões. Muitos passageiros dormiram nas instalações

As operações no aeroporto de Lisboa retomaram a normalidade a meio da manhã desta quinta-feira, depois do problema ocorrido na quarta-feira no abastecimento dos aviões, mas alguns voos ainda saem com atraso.

Segundo uma nota da ANA – Aeroportos de Portugal, desde as 10h30 que a operação no Aeroporto Humberto Delgado “retomou a normalidade”, depois do problema no abastecimento das aeronaves ter sido resolvido pelas 00h30.

A ANA informa ainda que “todas as restrições ao tráfego aéreo foram levantadas e todos os voos estão a decorrer de acordo com o previsto, ao ritmo normal”.

De acordo com a informação disponível pelas 11h30 na página da internet ANA, alguns voos ainda estavam a sair de Lisboa com atraso, nalguns casos superior a uma hora, como por exemplo o voo da Ryanair com destino a Dublin, que saiu pelas 11h19 do terminal 2, quando a hora inicialmente prevista era 10h.

Quase todos os restantes voos que partiram do aeroporto de Lisboa ao final da manhã saíram com algum atraso.

O problema no abastecimento das aeronaves ocorrido na quarta-feira afetou centenas de voos e milhares de passageiros.

Além do reforço de meios de abastecimento de aeronaves durante a noite, a Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) deu autorização para que fossem efetuados voos noturnos para ajudar a normalizar a situação, inédita no Aeroporto Humberto Delgado (Lisboa).

A Proteção Civil disponibilizou camas para os passageiros que se mantiveram esta noite nas instalações do aeroporto, nomeadamente por não terem sido acomodados pelas suas companhias ou por quererem permanecer no local ou porque viajariam brevemente.

Na nota emitida esta quinta-feira de manhã, a ANA não dá mais pormenores sobre quantos voos foram cumpridos durante a noite nem sobre os passageiros afetados que tiveram de ser alojados.