Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fronteiras controladas até domingo

A vinda do Papa a Fátima faz reforçar a segurança por todo o país

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Desde a última meia-noite, as fronteiras portuguesas voltaram a estar sob controlo policial. A medida é excecional e deve-se à viagem do Papa Francisco a Fátima, nos próximos dias 12 e 13.

Operacionais do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e militares da GNR patrulham os principais postos junto à fronteira com Espanha. O controlo temporário das fronteiras prolonga-se até à meia-noite de domingo, tal como a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa anunciou no final do mês de março.

Neste período, será restabelecido “o controlo documental” de pessoas antes, durante e depois do evento e haverá um dispositivo de segurança muito reforçado no terreno, entre 12 e 13 de maio.

Não é a primeira vez que tal acontece. Durante a cimeira da NATO realizada em Lisboa em 2010 e o Europeu de futebol em 2004, as fronteiras foram também encerradas. O objetivo é o permitir que as autoridades portuguesas consigam controlar melhor as saídas e entradas em território nacional.

Tal como as fronteiras terrestres, também a vigilância aérea e marítima será reforçada.

Foram o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), a GNR (territorialmente competente na segurança da área de Monte Real/Fátima) e a PSP (com a responsabilidade da segurança de altas entidades) que propuseram esta medida ao MAI e durante esta manhã o assunto foi levado a Conselho de Ministros que aprovou a reposição do controlo de fronteiras, no âmbito do acordo de Schengen.