Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Costa entrega candidatura à Agência do Medicamento a Tusk

PATRÍCIA DE MELO MOREIRA / AFP / Getty Images

Destino das agências europeias que estão em solo britânico começa a ser discutido este sábado

A carta que António Costa vai este sábado entregar ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, leva os argumentos para que a Agência Europeia do Medicamento se mude de Londres para Lisboa após o Brexit. O Governo apresenta a capital portuguesa como segura, dotada de infraestruturas e ligações aéreas, onde a EMA teria uma interação próxima com o Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência.

O Executivo garante que o país reúne condições técnicas e científicas e que tem uma solução à altura das necessidades desta agência. Lisboa já se tinha candidatado a acolher a agência em 1992, quando ela foi criada, tendo ficado na shortlist final. Mas Portugal não está sozinha na corrida, havendo mais de duas dezenas de países interessados, incluindo França, Espanha, Holanda e Irlanda.

Na reunião, os presidentes do Conselho Europeu e da Comissão “vão sugerir uma abordagem geral sobre a relocalização das duas agências” sediadas no Reino Unido, referindo-se à Autoridade Bancária Europeia. O objetivo é que na cimeira de junho os líderes possam tomar uma decisão sobre o procedimento e os critérios da relocalização.

Os 27 aprovam este sábado as diretrizes para a negociação do Brexit. Querem os direitos dos cidadãos como prioridade e só estão dispostos a falar da futura parceria com os britânicos quando estiverem definidos os termos da separação.