Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Rottweiler que atacou criança fica de quarentena

Fonte oficial da Câmara de Matosinhos disse à Lusa que o cão vai ficar “de quarentena pelo menos durante 15 dias”

O cão que na terça-feira atacou uma criança de quatro anos em Matosinhos, no distrito do Porto, vai ficar "de quarentena pelo menos durante 15 dias", adiantou hoje à Lusa fonte oficial da câmara.

Após esse período de quarentena, caberá ao tribunal decidir se o animal será ou não eutanasiado, disse a mesma fonte, sublinhando que o cão está no Centro de Recolha Oficial de Matosinhos a ser avaliado pelo veterinário municipal.

O dono do cão, de 24 anos, está na manhã de hoje no Tribunal de Matosinhos a aguardar para ser ouvido pelo procurador do Ministério Público (MP).

Segundo a PSP do Porto, o homem incorre em crimes de ofensa à integridade física negligente (por não ter o animal devidamente açaimado e com trela), ofensa à integridade física (por agressões ao pai da criança) e omissão do dever de auxílio (por ter abandonado o local após o ataque).

Na terça-feira, uma criança de quatro anos foi atacada por um cão de raça Rottweiler, em Matosinhos, tendo sido transportada para o Hospital de São João, no Porto, e submetida a uma cirurgia, encontrando-se estável.

Segundo fonte da PSP do Porto, o dono do animal estaria a passear o Rottweiler sem trela e sem açaime, tendo sido chamado à atenção por transeuntes. Foi então que "o homem se insurgiu contra as pessoas" e o cão – que "por lei deve andar com açaime e trela" – atacou pela primeira vez a criança de quatro anos, contou a mesma fonte.

Após o primeiro ataque, o pai da criança terá começado a tirar fotografias e "o indivíduo insurgiu-se e agrediu-o", pelo que "o cão atacou novamente a criança", acrescentou.

A criança apresentava ferimentos no couro cabeludo, ombro e numa mão, mas "não estava em estado grave", de acordo com os bombeiros. Inicialmente, fonte da PSP tinha indicado que a menina estava "praticamente desfigurada", num "estado muito grave".

A criança chegou primeiro ao hospital de Pedro Hispano, em Matosinhos, acompanhada da mãe, que também foi atacada pelo animal.

O cão feriu ainda uma terceira pessoa, sem gravidade.