Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

“É possível e seguro vacinar crianças contra o sarampo a partir dos seis meses”

getty

Direção-Geral da Saúde admite vacinar os bebés mais cedo, tal como o Expresso Diário noticiou segunda-feira. António Sarmento, professor da Universidade do Porto e especialista em doenças infetocontagiosas, explica o que está em causa

Como comenta a possibilidade, avançada pela Direção-Geral de Saúde, de adiantar a administração da primeira dose da vacina contra o sarampo?
Vacinar antes dos 12 meses é possível e seguro, além de poder ser uma forma de proteger as crianças numa situação de epidemia. Essa dose é chamada “dose zero” e não dispensa que se faça a imunização normal aos 12 meses e, depois, aos 5 anos. A única premissa é que exista, entre doses, pelo menos quatro semanas de distância.

A partir de que idade é que se pode vacinar sem perigo?
Só se deve administrar a vacina a partir dos 6 meses, nunca antes. Porque o sistema imunológico de um bebé com menos de seis meses é ainda imaturo e não está preparado para receber e beneficiar da vacina. Além de que poderia trazer outros efeitos colaterais.

E existe perigo em adiantar a segunda dose, habitualmente dada aos 5 anos?
Nenhum, desde que existam quatro semanas a separar essa dose da anterior. Mas isso só faria sentido se estivéssemos a enfrentar uma epidemia grave. Por outro lado, essa decisão não deve ser isolada: deve depender do conselho da autoridade de saúde pública. Numa palavra, dar a segunda dose da vacina antes dos 5 anos dependeria da proporção do surto e, em última análise, do contacto direto com pessoas infetadas.

Estamos mesmo a enfrentar uma epidemia?
Temos uma das melhores coberturas vacinais do mundo para o sarampo, acima dos 95%. É pouco provável que tenhamos uma epidemia de grandes dimensões. Porém, não devemos ter tanto receio da palavra ‘epidemia’, pois é um termo que se utiliza em relação a qualquer coisa anterior. Há dez anos não havia um único caso de sarampo, agora temos proporcionalmente mais, por isso, mesmo sendo de pequena dimensão, estamos perante um surto.

Foi noticiado que enfermeiras do Hospital de Cascais contraíram a doença mesmo estando vacinadas. Isso é possível e de que forma?
Não vou comentar o caso do Hospital de Cascais pois não tenho informação direta. Mas posso dizer que é raríssimo que alguém vacinado contra o sarampo contraia a doença. É tão raro que nem vale apena falar nisso, pois esta vacina é altamente eficaz. Se ocorrer, são geralmente casos benignos e ligeiros.

Se um adulto não tiver sido nem vacinado nem infetado, pode vacinar-se?
Pode, sim. Eu diria que um adulto sem evidência da doença, que não a tenha tido e nunca tenha sido vacinado contra o sarampo deve fazer a vacina. Não há idade limite.

Existem exceções?
Sim, além das crianças com menos de 6 meses, os adultos com imunodepressão ou gravidez não a devem fazer. Porém, sempre sob indicação médica, existem tratamentos a base de imunoglobulina para estas pessoas, no caso de terem tido contacto com alguém infetado.