Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Novo contrato coletivo de trabalho no calçado garante salários iguais para mulheres e homens

LUCILIA MONTEIRO

Paulo Gonçalves, porta-voz da Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos (APICCAPS), caracteriza este contrato como “histórico”

O setor do calçado vai assinar esta terça-feira um contrato coletivo de trabalho que garante salários iguais para homens e mulheres com as mesmas funções, disse fonte oficial da APICCAPS à Lusa.

Paulo Gonçalves, porta-voz da APICCAPS, caracteriza este contrato como “histórico” porque “pela primeira vez iguala os salários entre homens e mulheres”.

“O que nós procuramos fazer, no fundo, é promover a igualdade de género. Esta era uma preocupação do setor já há algum tempo e nas últimas negociações fomos sempre promovendo esta aproximação entre os salários de homens e de mulheres e este processo termina agora”, relatou a mesma fonte à agência Lusa, referindo que as mulheres representam cerca de 60% dos trabalhadores.

O acordo, que será hoje oficializado publicamente no Porto, prevê ainda um aumento médio dos salários de 3,8%.
No setor, as exportações aumentaram 60% desde 2009, período em que foram criados cerca de sete mil postos de trabalho, graças a uma “concertação efetiva entre o patronato e os sindicatos”.

“Houve paz social e criação e distribuição de riqueza”, concluiu o porta-voz da APICCAPS, que quer ver o setor como um “caso de estudo ao nível das melhores práticas sociais”, depois de ser apontado como um “exemplo de competitividade”.

O setor exporta 95% da produção para 152 países, segundo a APICCAPS.

O acordo para igualar salários entre a APICCAPS e a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores Têxteis, Lanifícios, Vestuário, Calçado e Peles de Portugal (FESETE ) será assinado na presença do ministro do Trabalho, Vieira da Silva.