Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fórum Médico explica paralisação em comunicado

Leia na íntegra as razões da primeira greve de médicos deste governo. Protesto está marcado para 10 e 11 de maio

O diagnóstico da situação efectuado no Fórum Médico de 10 de março passado em nada se alterou desde então.

A indignação que prevalece no seio dos médicos que, apesar de todas as adversidades, têm mantido o SNS a funcionar, com milhares de horas de trabalho que ultrapassam largamente os limites da própria legislação apenas cresceu neste tempo que medeia as duas reuniões.

As promessas ministeriais continuam a não ter tradução em atos concretos e em medidas de solução dos problemas existentes, as reuniões ditas negociais não passam de simulacros e de passar de tempo, esgotando-se no recurso ao argumento de dificuldades financeiras.

Argumento esse dificilmente compreensível perante a divulgação pública do gasto de milhares de milhões de euros para financiar entidades bancárias, e também pelos milhares gastos em actividades de comunicação e propaganda.

Chegamos a uma situação que já não permite qualquer atitude expectante.

Face ao exposto, as organizações médicas hoje reunidas no Fórum Médico entendem:

1 - Estar determinadas para apoiarem a convocação pelas estruturas sindicais de uma Greve Nacional dos Médicos, a ter lugar nos dias 10 e 11 de Maio.

2 – Recomendar a saída de todas as organizações médicas da Comissão de Reforma da Saúde Pública.

3 – Estar determinadas para uma contestação prolongada no tempo a este ataque ao SNS e aos médicos que o mantem em funcionamento Lisboa