Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Função Pública pára a 26 de maio

Ana Avoila, coordenadora da Federação dos Sindicatos da Função Pública

TIAGO PETINGA / LUSA

Tal como o Expresso Diário tinha avançado da edição desta terça-feira, a reunião entre os sindicalistas e os responsáveis das Finanças e do Trabalho “não adiantou nada” e por isso, já esta manhã, a Federação Nacional dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais anunciou uma greve a realizar no final de maio

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS) anunciou esta quarta-feira uma greve nacional de 24 horas para o dia 26 de maio para reivindicar aumentos salariais e 35 horas de trabalho semanais.

Em conferência de imprensa, a dirigente da FNTSFPS, Ana Avoila, explicou que a ação de protesto pretende reivindicar aumento de salários e do pagamento de horas extraordinárias e a aplicação para todos os trabalhadores das 35 horas.

A sindicalista notou que as maiores participações nas greves costumam ser dos setores da saúde e educação, "mas o sentimento que existe é comum a todos" os 350 mil funcionários da administração central.

  • Função Pública avança com greve em maio

    As reuniões com o Governo não avançaram muito sobre o descongelamento das carreiras ou sobre a integração dos precários nos quadros da Administração Pública. Sindicatos saíram esta terça-feira do Ministério das Finanças descontentes e ameaçam parar já em maio