Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Caso dos Comandos. Número de arguidos sobe para 18

Tiago Miranda

Ministério Público vai ouvir mais responsáveis do curso 127 dos Comandos. Investigação à morte dos instruendos Hugo Abreu e Dylan Silva continua a fazer arguidos

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

A procuradora titular do inquérito à morte dos recrutas Hugo Abreu e Dylan Silva ouviu esta terça-feira mais um responsável pelo curso 127 dos Comandos. A informação é avançada pela RTP e confirmada ao Expresso por fonte próxima do processo.

De acordo com a mesma fonte, o número de arguidos do caso irá subir para 18 até ao final do dia. São todos responsáveis pelo curso que se iniciou em setembro do ano passado.

Antes do militar interrogado na última terça-feira, a última pessoa a ser ouvida no DIAP foi o capitão Rui Monteiro, comandante da Companhia de formação de Comandos, e o 10.º arguido do processo. O militar foi indiciado pelo crime de abuso de autoridade por ofensas à integridade física. E tal como quase todos os arguidos remeteu-se ao silêncio.

Entretanto, tal como o Expresso anunciou este sábado, seis recrutas desta formação das tropas especiais do Exército apresentaram uma queixa-crime ao Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

O objetivo dos jovens militares é que a Justiça civil abra “um procedimento criminal sobre o que se passou na Prova Zero”, explica uma fonte próxima do processo.

Nem todos avançaram com a queixa logo da primeira vez que foram inquiridos, “por medo”, pedindo algum tempo para poder pensar sobre o assunto ou aconselhar-se com um advogado. Muitos acabaram por formalizar a denúncia mais tarde à procuradora Cândida Vilar do processo. “Eles agora vão aparecendo, com receio de que não se faça Justiça”, acrescenta a mesma fonte.