Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fuga de gás em Lisboa obriga a corte trânsito e à evacuação de vários prédios

Os técnicos das concessionárias de gás e de eletricidade (GALP e EDP) estão a tentar identificar a fuga e a solucionar o problema ocorrido na Rua Maria Andrade, Intendente

A rua Maria Andrade, no Intendente, Lisboa, continua esta terça-feira cortada ao trânsito devido a uma fuga de gás, que obrigou à evacuação de vários prédios, mas os moradores já regressaram às suas habitações, disseram à Lusa os bombeiros.

O Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa indicou que o alerta foi dado às 13h30, acrescentando que os habitantes, dos números 11 ao 33, foram autorizados a regressar às casas por volta das 19h.

Às 20h15, os moradores continuavam, contudo, sem gás, pois os técnicos da empresa responsável pelo fornecimento estavam ainda a tentar resolver o problema. Desde as 17h45, os moradores também não têm eletricidade, por a mesma ter sido cortada para "averiguar a situação da fuga de gás", segundo fonte oficial da EDP.

Fonte da GALP explicou à Lusa que a reparação da fuga de gás só deverá ter início após a resolução de uma questão elétrica, acrescentando que, após a intervenção da Lisboa-Gás, o abastecimento será retomado “dentro de uma a duas horas”.

A rua Maria Andrade foi reaberta à circulação pedonal, mas continua fechada ao trânsito.

No local estão oito homens dos Sapadores de Lisboa, apoiados por duas viaturas, além da polícia.

Em declarações à Lusa, por volta das 20h35, o vereador com o pelouro da Proteção Civil da Câmara de Lisboa explicou que os técnicos das concessionárias de gás e de eletricidade (GALP e EDP) estão a tentar identificar a fuga e a solucionar o problema o mais rapidamente possível, não havendo uma previsão para quando é que a situação possa normalizar.

Carlos Castro acrescentou que “foi rápida” a resposta dos agentes de proteção civil municipal após os bombeiros receberem o alerta a dar conta de cheiro a gás naquela zona de Lisboa.