Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

O crossover que faltava

d.r.

A Opel é um dos muitos construtores a apostar no segmento da moda. Só que o êxito que o Opel Mokka X tem tido na Europa está comprometido em Portugal, porque paga classe 2 nas portagens. Mas agora a história pode mudar, com a chegada do Crossland X, que é menos SUV e mais crossover… e classe 1 nas autoestradas

Rui Pedro Reis/SIC

São tempos de mudança na Opel, recém adquirida pelo grupo PSA. E o novo Crossland X já faz parte de uma nova era, e não apenas por partilhar a plataforma do Peugeot 2008. A Opel continua um caminho de renovação de uma gama que já acusava a passagem do tempo. Mais tarde, ao Crossland X e ao Mokka X vai juntar-se o Grandland X, que vai completar a gama como o maior dos SUV Opel.

O Crossland X vem substituir o Opel Meriva. É um sinal dos tempos. Um monovolume dá lugar a um crossover. E, à primeira vista, é um modelo que tem os argumentos que fazem parte deste segmento: uma maior altura ao solo, elementos estéticos a negro que lhe reforçam um perfil mais aventureiro.

Apesar de ainda não ter conduzido o Crossland X, sentado ao volante percebe-se a posição de condução mais elevada e o espaço a bordo. Para se ter uma ideia das dimensões, este novo modelo é 16 cm mais curto que o Opel Astra mas 10 cm mais alto. A segunda fila de bancos pode avançar 15 cm, por forma a aumentar o espaço da bagageira, que em posição normal é de 410 litros.

1 / 4

2 / 4

3 / 4

4 / 4

Tecnologia na moda

Se os SUV e crossover estão na moda, os componentes de tecnologia também. Daí que um novo modelo que aponta a uma clientela com estilo de vida urbano tenha de estar recheado de itens de segurança e conectividade. No Crossland X, destaque para os faróis adaptativos integralmente formados por LED, o ‘Head Up Display’ e a câmara traseira panorâmica 180º, o sistema de estacionamento automático Advanced Park Assist, o alerta de colisão dianteira iminente com travagem automática de emergência e deteção de peões, o sistema de alerta em caso de cansaço do condutor, o assistente de manutenção de faixa, o reconhecimento de sinais de trânsito e do alerta de ângulo cego, para citar apenas os mais relevantes. A lista é extensa e, já se sabe, pode acrescentar um valor considerável ao preço de qualquer automóvel, ainda que na Opel as versões de meio da gama já tenham um nível de equipamento muito interessante. É o caso do sistema de ligação ao exterior Opel On Star e da compatibilidade com Apple CarPlay e Android Auto que são de série.

Aposta nos motores a gasolina

A gama do Crossland X vai ter cinco motorizações a gasolina e três a gasóleo. Os sinais de que o diesel tem os dias contados chegam de cada vez mais fabricantes. A gama começa com o motor 1.2 a gasolina, com 81 cv de potência (consumos NEDC: urbano 6,4 l/100 km, extraurbano 4,4 l/100 km, misto 5,1 l/100 km; emissões 114 g/km CO2). Já o 1.2 Turbo com injeção direta de gasolina tem três configurações diferentes. A versão ECOTEC debita 110 cv e tem caixa de cinco velocidades (consumos NEDC: urbano 5,6 l/100 km, extraurbano 4,2 l/100 km, misto 4,8 l/100 km; emissões 109 g/km CO2). Com a mesma potência, este motor de três cilindros está disponível com caixa automática de seis velocidades (consumos NEDC: urbano 6,3 l/100 km, extraurbano 4,8 l/100 km, misto 5,3 l/100 km; emissões 121 g/km CO2). Diz a Opel que o 1.2 Turbo torna o Crossland X muito divertido de conduzir e económico.

No topo da gama de motores a gasolina está o 1.2 Turbo de 130 cv, (consumos NEDC: urbano 5,7 l/100 km, extraurbano 4,6 l/100 km, misto 5,0 l/100 km; emissões 114 g/km CO2). Com este bloco, o Crossland X faz 9,1 segundos dos 0 aos 100km/h e chega aos 206 km/h de velocidade máxima.

Nos Diesel, a gama começa com o turbodiesel 1.6, com 99 cv (consumos NEDC: urbano 4,5 l/100 km, extraurbano 3,4 l/100 km, misto 3,8 l/100 km; emissões 99 g/km CO2). Mas o Crossland X 1.6 possui uma versão mais económica, designada ECOTEC, com sistema Start/Stop, que emite 93 g/km de CO2 no ciclo misto (consumos NEDC: urbano 4,1 l/100 km, extraurbano 3,3 l/100 km, misto 3,6 l/100 km). O Diesel mais potente é o 1.6 de 120 cv (consumos NEDC: urbano 4,6 l/100 km, extraurbano 3,6 l/100 km, misto 4,0 l/100 km; emissões 103 g/km CO2).

O novo Opel Crossland X fica disponível para encomenda já em abril e as primeiras unidades vão chegar ao mercado português em junho. O preço para as verões a gasolina começa nos 17.900 euros e o das versões a gasóleo nos 22.800 euros.

FICHA TÉCNICA AINDA NÃO DIVULGADA