Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Daesh. Prisão preventiva para marroquino extraditado para Portugal

Abdessalam Tazi estava detido na Alemanha por crimes de burla. Foi ouvido esta quinta-feira no DCIAP, em Lisboa

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

O marroquino Abdessalam Tazi, de 63 anos, fica em prisão preventiva, depois de ter sido ouvido esta quinta-feira no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Um comunicado enviado esta noite pelo gabinete de comunicação da Procuradoria-Geral da República (PGR), revela que o Ministério Público apresentou ao juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal o cidadão de nacionalidade marroquina hoje entregue às às autoridades portuguesas.

"Realizado o interrogatório, o juiz decidiu, em consonância com o promovido pelo Ministério Público, aplicar ao arguido a medida de coação de prisão preventiva", refere o documento.

Ainda de acordo com a PGR, neste processo "investiga-se a prática de crimes de adesão e apoio a organização terrorista internacional (Daesh-ISIS) e recrutamento e financiamento ao terrorismo".

Abdessalam Tazi tinha sido extraditado da Alemanha, onde havia cumprido uma pena de prisão por crimes de burla. Era o alegado líder da célula de Aveiro, investigada pela Polícia Judiciária, SIS e SEF nos últimos três anos.

O seu cúmplice, também de nacionalidade marroquina, foi detido em novembro em Marselha, França. Quatro meses depois, continua preso naquele país.