Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

“A Bela e o Monstro” com nova estreia marcada na Malásia. Sem cortes?

A Disney recusou cortar uma polémica cena, que a censura do país quis ver retirada por causa da suposta homossexualidade do personagem. O filme acabou aprovado e tem estreia agendada, mas os censores dizem que da versão original desaparecerá um “breve momento gay”

A cena já deu muito que falar. Integra a mais recente versão do clássico “A Bela e o Monstro”, e é protagonizada por LeFou, que a imprensa tem descrito como o primeiro personagem homossexual da Disney, daí a polémica gerada.

Na Malásia, a estreia do filme – prevista para o dia 16 de março – acabou por ser adiada, depois de os estúdios Disney terem recusado editar o filme, de forma a corresponder à exigência do Comité de Censura do país, que aprovou a sua exibição desde que a cena fosse cortada.

O filme, que nesta versão conta com atores reais, tem agora nova data de estreia prevista. Será no dia 30 de março, adianta no Facebook a Golden Screen Cinemas, e os espectadores da Malásia, desde que os menores de 13 anos estejam acompanhados pelos pais, poderão ver a película na íntegra.

Ou, pelo menos, quase na íntegra, o assunto não é bem claro, já que o responsável pelos serviços de censura confirma que será eliminado “um breve momento gay”, já que as cenas que se considere promoverem a homossexualidade estão proibidas no país.

Na cena tão contestada, LeFou canta. Segundo o realizador Bill Condon, ele “está confuso sobre a sua sexualidade”, pois “umas vezes quer ser Gaston, outras quer beijar” o seu amigo Gaston.

Terá sido por isso que o filme ficou classificado para maiores de 16 anos na Rússia.

Na nova versão do clássico contracenam Emma Watson, Dan Stevens, Luke Evans, Ewan McGregor, Emma Thompson, Ian McKellen, Stanley Tucci e Kevin Kline.