Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Deputado da oposição pede destituição de Rodrigo Duterte

Pool/ Getty images

Gary Alejano alega que é vital o afastamento do Presidente filipino por violação culposa da Constituição, abuso de confiança, corrupção e outros crimes como o envolvimento em assassínios

Um deputado filipino da oposição apresentou esta quinta-feira um pedido de destituição de Rodrigo Duterte na Câmara dos Representantes, alegando que o Presidente esteve envolvido em vários crimes.

O deputado Gary Alejano alega no documento que é vital o afastamento de Duterte do cargo por violação culposa da Constituição, abuso de confiança, corrupção e outros crimes como o envolvimento em assassínios.

“Nós sabemos que os números estão contra nós e vamos enfrentar um grande desafio. Mas continuamos a acreditar que o impeachment pode ser conseguido, não só no Parlamento como lá fora”, declarou Gary Alejano em conferência de imprensa, citado pelo “The Guardian”.

O nosso objetivo com este pedido, sublinhou o deputado, é ser “um veículo para os filipinos terem uma voz de oposição e lutarem contra os abusos e crimes cometidos pelo Presidente Duterte.”

Embora admita que será uma batalha difícil – uma vez que dos 292 membros do Parlamento, 267 estão ao lado do Presidente – o deputado da oposição acredita que o documento apresentado na câmara contará com mais apoios.

O porta-voz de Duterte nega contudo as acusações, tendo afirmando esta quinta-feira que o deputado da oposição quer criar dúvidas sobre a administração do Presidente filipino.

Durante a sua campanha, Duterte prometeu eliminar mais de 100 mil criminosos e até agora mais de oito mil pessoas foram assassinadas, nomeadamente traficantes. Alguns milhares foram também mortos durante este período por cidadãos, respondendo ao repto lançado por Duterte para que a população se associasse ao combate às drogas.

Os EUA, a União Europeia e várias ONG têm criticado duramente o método do líder filipino, apelando ao fim das execuções extrajudiciais.

Após quase 20 anos à frente da autarquia de Davao, Duterte protagonizou uma luta contra o narcotráfico que teve resultados, através de métodos drásticos, o chamado “esquadrão da morte”. Foi com base nesse percurso que alcançou popularidade e conseguiu ser eleito Presidente do país, em junho de 2016.