Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Manuel Alegre condena suspensão da conferência de Jaime Nogueira Pinto

O ex-membro do Conselho de Estado considerou que a decisão “é um ato contra a liberdade de expressão e contra os valores fundamentais da democracia”

O "histórico" dirigente socialista Manuel Alegre condenou esta quarta-feira a suspensão de uma conferência do politólogo Jaime Nogueira Pinto, prevista para terça-feira, na Universidade Nova de Lisboa, considerando tratar-se de um "ato contra a liberdade de expressão".

A direção da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova alegou que cancelou a conferência de Jaime Nogueira Pinto, marcada pelo movimento Nova Portugalidade, por "ausência das condições indispensáveis de normalidade".

Já depois de a reserva ter sido pedida pela Associação de Estudantes e aceite pelo Conselho Pedagógico daquela faculdade, os estudantes, em Reunião Geral de Alunos (RGA), votaram uma moção exigindo o cancelamento da conferência.

Em declarações à agência Lusa, Manuel Alegre, ex-candidato presidencial e ex-membro do Conselho de Estado, considerou que a decisão da direção da FCSH da Universidade Nova de Lisboa de suspender a conferência de Jaime Nogueira Pinto "é um ato contra a liberdade de expressão e contra os valores fundamentais da democracia".

"O tema proposto sobre populismo e democracia é aliás bastante atual. O populismo nasce da degradação da democracia e são atos como este que o favorecem", advertiu Manuel Alegre.

O ex-candidato presidencial referiu-se ainda aos seus tempos de estudante da Universidade de Coimbra, na década de 60, no período do Estado Novo.

"Quando era estudante de Coimbra também havia colóquios proibidos, mas isso era no tempo da ditadura. Em democracia não é possível, porque a democracia é feita de debate e de pluralismo", acrescentou.