Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Novos anúncios da Yves Saint Laurent acusados de serem “degradantes” para as mulheres

CHARLES PLATIAU/REUTERS

Regulador da publicidade em França quer que os anúncios sejam alterados e vai reunir com a marca de moda na sexta-feira para depois decidir se toma ou não medidas contra a empresa

Ana Baptista

Ana Baptista

Jornalista

A Yves Saint Laurent está, novamente, debaixo de fogo, desta vez por causa da campanha publicitária que lançou durante a Semana da Moda de Paris, que termina já na quarta-feira, 8 de março.

A campanha, que em dois dos anúncios mostra uma modelo feminina de pernas abertas a mostrar a roupa interior e uma outra debruçada em cima de um banco alto, também com as pernas abertas, começou por ser atacada nas redes sociais, nomeadamente no Twitter, por ser considerada degradante para as mulheres e por incitar à violação, noticia o El Mundo. Mas rapidamente chegou à Autoridade Reguladora Profissional da Publicidade (ARRP) em França, que recebeu mais de 50 denúncias e quer que a marca altere os dois anúncos em causa.

"Pedimos à marca que faça alterações nestas imagens o mais rapidamente possível", disseram à Reuters, citada pelo El Mundo, que acrescenta ainda que a ARRP irá reunir na sexta-feira com representantes da Yves Saint Laurent para depois decidir se toma ou não medidas contra a empresa.

De acordo com o diretor daquela instituição, Stéphane Martin, a Yves Saint Laurent terá "infringido claramente" as regras da publicidade que "excluem qualquer representação degradante ou humilhante da pessoa humana (..) especialmente através de de atitudes, posturas, gestos, sons, etc..", cita o El Mundo.

Aliás, na página da ARRP, Martin diz mesmo não acreditar "que as clientes queiram ver-se associadas a estas imagens" e que não faz sentido, dez anos depois de se ter chegado à conclusão que o porno chic não é aceitável, estar novamente a debater este tema.

Esta já não é a primeira vez que a Yves Sant Laurent está nesta situação. Ainda em 2015, uma das suas campanhas foi proibida no Reino Unido por considerarem "irresponsável" o anúncio onde a modelo Kiki Willems aparecia muito magra e com um aspecto de doente.