Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Fábrica de conservas do Porto encerrada pela ASAE

António Bernardo

Apreendidas quase 300 mil embalagens de conservas de peixe e outros produtos relacionados com a produção de conservas, que ultrapassam os 200 mil euros

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) mandou suspender a atividade de uma fábrica ilegal de conservas, na área do Grande Porto.

A operação de fiscalização decorreu no final da semana passada, depois de uma investigação que "detetou uma indústria conserveira ilegal a funcionar sem o número de controlo veterinário obrigatório, encontrando-se o mesmo cancelado por falta de condições de higiene e estruturais do local", avança a ASAE.

Foram apreendidas quase 300 mil embalagens de conservas de peixe e outros produtos relacionados com a produção de conservas, que ultrapassam os 200 mil euros.

De acordo com a ASAE, a atividade consistia essencialmente no "reembalamento de conservas" e estava a ser desenvolvida nas instalações "sem as mínimas condições de higiene e de segurança alimentar", não tendo sido ainda apresentados "quaisquer documentos comprovativos da rastreabilidade dos produtos que se encontravam a ser reembalados".

Através desta ação foi impedida a entrada no circuito comercial destes produtos que podiam colocar em perigo a saúde pública.