Siga-nos

Perfil

Expresso

Sociedade

Católica formaliza acordo para a criação do primeiro curso privado de Medicina

Carl Court / Getty Images

Parceria envolve ainda Grupo Luz Saúde, Universidade de Maastricht e Câmara de Cascais. Mas a entrada em funcionamento de um novo curso estará sempre dependente da aprovação da Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior. Até hoje, nunca uma instituição privada conseguiu essa autorização

Numa das mais áreas de ensino mais disputadas pelos candidatos ao ensino superior, há muito que sector privado tem tentado estender a sua oferta à Medicina, mas até agora sem sucesso. A Universidade Católica Portuguesa (UCP) em colaboração com a Universidade de Maastricht e o Grupo Luz Saúde estão decididos a ser os primeiros. Na próxima sexta-feira assinam o acordo para o desenvolvimento do Campus de Cascais da Faculdade de Ciências da Saúde da UCP, naquele que será o primeiro passo, confiam, do processo de abertura do primeiro curso privado de Medicina.

Estabelecido o acordo, o passo seguinte será a preparação e apresentação da proposta junto da Agência de Avaliação e Acreditação de Ensino Superior (A3ES). Nenhuma formação conducente à atribuição de um grau de ensino superior – seja licenciatura, mestrado ou doutoramento – pode funcionar sem o aval da A3ES. Ou seja, na melhor das hipóteses a proposta é apresentada pela Católica até ao final do ano e poderá ser aprovada para acolher os primeiros alunos em 2018/19.

“Trata-se de um projeto internacional de Medicina, único em Portugal, baseado no modelo de ensino (assente em Problem Based Learning) que a Universidade de Maastricht tem vindo a desenvolver, com sucesso, há 50 anos e totalmente leccionado em inglês”, explicam os responsáveis em comunicado, invocando a “inquestionável qualidade de duas entidades com provas dadas: o Grupo Luz Saúde, operador privado de referência na saúde em Portugal, e a UCP, uma referência de excelência no ensino superior”.

Apesar de tudo estar dependente da avaliação que vier a ser feita pela A3ES o projeto parece desde já merecer a confiança de responsáveis políticos, com a presença do secretário de Estado da Saúde, Manuel Delgado, já confirmada, anuncia a Católica.

CESPU tem proposta em avaliação

Neste momento há um outro processo de candidatura a um novo curso superior de Medicina em fase mais adiantada. A Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (CESPU) entregou a proposta à A3ES no ano passado (desde 2004 que tem tentado) e a resposta deverá ser conhecida entre maio e junho, diz Alberto Amaral, presidente da agência de avaliação.

No caso da proposta da CESPU, seriam os centros hospitalares de Vila Real e Trás-os-Montes e do Tâmega e Sousa, além de outros hospitais privados, a assegurar a formação clínica.